http://filoparanavai.blogspot.com.br/

sábado, 10 de maio de 2014

May 17, 2014 - International Day Against Homophobia and Transphobia [Homo-lesbo-bi-trans-phobia]



O Dia Internacional contra a Homofobia
é CELEBRADO em 17 de maio.


É muito oportuno, esse momento, para tomarmos consciência de que há um documento muito rico e voltado para as comunidades escolares do Paraná sobre esse tema aqui em questão. Vale a pena ler o Texto das “DIRETRIZES CURRICULARES DE GÊNERO E DIVERSIDADE SEXUAL DA SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DO PARANÁ”, ainda em construção; ao ler a "Apresentação" desse documento já podemos, no mínimo, ficar em grande animação quanto a um gigantesco e imensurável trabalho que é necessário desenvolvermos em nossas escolas, estejam elas onde estiverem no território brasileiro, quanto a esse desafio de mitigarmos a Homofobia em todas as suas formas de expressões. 

Estamos falando de pessoas que se expressam diferentemente dos "padrões normais" culturais e que merecem, pelo simples fato de serem humanos, o mesmo respeito que todo e qualquer Humano merece nesse mundo, independente de suas diferenças, sejam elas quais forem, vez que somos Humanos
"IGUAIS e DIFERENTES".... 

VAMOS LER, ENTÃO, A APRESENTAÇÃO DO DOCUMENTO AQUI INDICADO... 

"Apresentamos a comunidade escolar o material que subsidiará a discussão sobre as questões de gênero e diversidade sexual na Rede Pública Estadual de Educação Básica do Paraná, com o tom de uma diretriz orientadora que norteará a ação no interior das nossas escolas. 

Vivemos em uma sociedade que, historicamente, se constituiu como uma sociedade masculina, lesbofóbica, homofóbica, transfóbica e racista, marcada pela exclusão social, particularmente dos processos de escolarização, de grupos específicos diferenciados pela classe social, bem como, diferenciados pelas questões de gênero e orientação sexual. 

Partindo da compreensão de que as práticas sociais são construídas historicamente e que os nossos pensamentos, acerca das coisas do mundo, são subjetivados a partir destas nossas relações, salientamos o espaço da instituição escolar como o espaço privilegiado para se discutir e mudar as concepções que temos sobre as coisas e os fenômenos sociais a partir do acesso ao conhecimento.xxx 

Precisamos, cada vez mais, nos instrumentalizarmos para compreendermos e enfrentarmos as diferentes formas, não raras vezes veladas, de discriminação e exclusão social, e as professoras e professores, funcionárias e funcionários precisam compreender a dimensão pedagógica da sua ação para além da dimensão pedagógica, exclusiva da professora ou do professor, da transmissão de conteúdos curriculares. Temos em nossas mãos a condição concreta de provocar mudanças, esperamos que este material que entregamos a vocês provoque, mobilize e proporcione uma transformação na direção da sociedade que buscamos. Onde mulheres e homens participem coletivamente da tomada de decisões e definam conjuntamente seus caminhos. Deixamos a todas e todos um forte e afetuoso abraço, e o desejo de que realizemos sempre um bom trabalho no interior de nossas escolas."

Alayde Maria Pinto Digiovanni 
Superintendente da Educação 
Wagner Roberto do Amaral 
Chefe do Departamento da Diversidade 

ACESSE O DOCUMENTO EM PDF NA ÍNTEGRA 

  Utilizamos o termo "Homolesbitransfobia para se referir ao conjunto da discriminação e ódio contra todos os membros da comunidade LGBT(Lésbicas,Gays,bissexuais e trans).

 

Homofobia é a aversão/medo/ódio direcionado à pessoas homossexuais,que podem ser gays,lésbicas,bissexuais e trans.


Lesbofobia é a homofobia praticada contra mulheres homossexuais.


Bifobia é a aversão/medo;ódio direcionada especificamente contra pessoas bissexuais(que se relacionam com ambos os gêneros).


Transfobia é a aversão/medo/ódio o direcionado às pessoas Trans(transexuais,travestis, gender queer, etc),que podem ser homossexuais,heterossexuais,bissexuais,assexuais.

 

 visite o site da campanha
                                      LIVRES E IGUAIS
QUE É UMA INICIATIVA 
                            DO ESCRITÓRIO DAS NAÇÕES UNIDAS 
                             PARA OS DIREITOS HUMANOS
                                    https://www.unfe.org/pt .







Precisamos  entender o que significa hoje a sigla LGBT. É uma sigla política que designa lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais. Em alguns locais no Brasil, o T, que representa a presença de travestis e transexuais no movimento, também diz respeito à transgêneros, ou seja, pessoas cuja identidade de gênero não se alinha de modo contínuo ao sexo que foi designado no nascimento. O Trans pode ser de orientação tanto homossexual quanto heterossexual; o travesti ou a travesti também necessariamente não têm que ser da orientação homossexual, vez que há travestis tanto com uma ou a outra orientação. Identidade de gênero e Orientação sexual são coisas diferentes.  (gays crossdressers, gays HsH - que se relacionam com heterossexuais, drag queens, transformistas, entre outros, são apenas outras das tantas expressões da diversidade sexual).

 


 

UMA COISA É CERTA: a violência contra todos os membros da comunidade LGBT surge da fonte comum do machismo patriarcal. Nossa cultura está impregnada da ideia de que a HOMOAFETIVIDADE deve ser tratada como pecado, doença, perversidade moral, crime: "[...] ser gay é um pecado porque a bíblia assim o diz. Sobre esse argumento não tenho nada a dizer. É um argumento de fé: “a Bíblia disse, então é verdade”. Na verdade este nem é propriamente um argumento. É uma crença. A única coisa que poderia questionar é que a Bíblia também diz inúmeras outras coisas que se aplicavam à época em que foi escrita, mas não à atualidade. Exemplos de recomendações bíblicas absolutamente anacrônicas existem às dezenas, quiça às centenas. Não vou me deter nisso. Se você considera a Bíblia a fonte absoluta da verdade, do bom e do certo, não sou eu que vou lhe convencer do contrário." 

LEIA O TEXTO NA ÍNTEGRA: http://www.redehumanizasus.net/
LEIA TAMBÉM A PARTE 2: http://www.redehumanizasus.net/


Então o que ou quem são os LGBTs? 

L – Lésbicas - Mulheres, que amam ou se relacionam sexualmente com mulheres. 

G – Gays - Termo americano para "rapaz alegre", Homens que amam ou se relacional sexualmente com homens. 

B – Bissexuais - Homens e Mulheres que amam ou se relacionam sexualmente com pessoa do mesmo sexo, e do sexo oposto.( Ocasionalmente ou Constantemente).

T – Travesti - Termo que designa vestir-se de forma diferente do seu gênero, homem que se veste de mulher ou mulher que se veste de homem, de forma ocasional, temporária ou permanente. 

O Travesti – Usa-se o termo "o Travesti quando nos referimos a uma mulher travestida de homem". Nesta situação é um travesti masculino. 

A Travesti - Usa-se o termo "a travesti quando nos referimos a um homem travestido de mulher". Nesta situação é uma travesti feminina.

INFORME-SE TAMBÉM SOBRE OS "ASSEXUADOS" - SEXUALIDADE SEM "SEXO" [http://ebp.org.br/]




SÓ QUEM SOFRE DISCRIMINAÇÃO SABE O TIPO DE DOR OU NEGAÇÃO DE VIDA QUE ELA PODE PROVOCAR Filme de curta-metragem inverte papéis e focaliza a homofobia por outro viés.

“Imagine… Imagine um mundo onde héteros são considerados gays e gays são héteros. Um mundo onde é tabu para uma mulher e um homem se apaixonarem. Um mundo onde o casamento entre pessoas do mesmo sexo é a única maneira em que a sociedade permite que você ame, onde quem você ama define quem você é.”

Amor é tudo o que você precisa? (tradução livre do nome original em inglês, “Love is all you need?”) é um filme de curta-metragem cuja história se passa em um mundo hipotético onde ser homossexual é a norma socialmente aceita e em que os procriadores (como são chamados os personagens héteros) são considerados pecadores e pessoas ruins por natureza. 

O diretor K. Rocco Shields aborda assuntos como o bullying (incluindo sua vertente mais contemporânea, o bullying cibernético), a intolerância e mesmo o suicídio como formas de retratar os danos que o discurso fundamentalista pode causar em uma sociedade adoecida pelo medo do que lhe é diferente. 

O curta pode ser visto abaixo, publicado no site YouTube [Fonte:http://www.grupodignidade.org.br/]: 
 

PARA ASSISTIR LEGENDADO EM ESPANHOL
CONHEÇA O SITE DA ILGA 
INTERNATIONAL LESBIAN, GAY, BISEXUAL, 
TRANS AND INTERSEX ASSOCIATION
http://ilga.org/ilga/pt/ 
CONHEÇA O DISQUE 100 CANAL PARA 
DENÚNCIAS DE CASOS
DE HOMOFOBIA
http://www.grupodignidade.org.br/
ACESSE O SITE SDH - LGBT
http://www.sdh.gov.br/ 




No Paraná pela lei nº16454/2010, 
17 de maio é o 
Dia Estadual de Combate à Homofobia. 



 No Brasil, por decreto do Presidente LULA em junho de 2010, oficialmente o 17 de maio é do Dia Nacional de Combate à Homofobia. 



[O dia 17 de maio foi escolhido Dia Nacional de Combate à Homofobia porque nesta data, em 1990, a Assembléia Mundial da Saúde, órgão máximo de tomada de decisão da Organização Mundial da Saúde, retirou a homossexualidade da Classificação Internacional de Doenças. Desde então, a data é celebrada internacionalmente como o Dia de Combate à Homofobia.] 

O que é a homofobia? 

O termo é utilizado para descrever o medo de amar ou de estar intimamente com alguém do mesmo sexo e o ódio à existência desses sentimentos noutras pessoas. A palavra homofobia também descreve as atitudes e os comportamentos hostis contra lésbicas e gays. A homofobia é derivada do heterossexismo, a opressão das pessoas lésbicas, gays e bissexuais baseada num conjunto de crenças que assumem que a heterossexualidade é a única forma de sexualidade natural, normal e aceitável. 

A assunção de que toda gente é ou irá ser heterossexual é tão universal que a maioria das pessoas pensa que não tem nenhuma outra hipótese em relação à sua sexualidade. O heterossexismo fundado na crença cristã de origem cultural judaica silencia e torna as lésbicas, gays e bissexuais invisíveis. 

Baseia-se em ideias pouco exatas, preconceituosas, mal-informadas, desprovidas de fundamentos filosóficos e científicos e enganadoras acerca das vidas desses sujeitos e cria mitos e estereótipos, que são usados para justificar o preconceito e a discriminação. O heterossexismo, como noutros tipos de opressão, é apoiado pela maioria das instituições na sociedade, predominantemente as igrejas cristãs, o Estado e os Média, dentro de uma estrutura convencional cultural rígida, porém, que aos poucos vai sendo desconstruída pela Moral Laica. 

A cultura ocidental oferece-nos mensagens muito claras quanto às expressões da sexualidade que acha corretas ou não. Somos educados para acreditar que a nossa sexualidade está definida de uma forma muito rígida, ao ponto de que se pensa que é heterossexual e que não se pode de algum modo sentir atraído por pessoas do mesmo sexo. Se isso ocorre com alguém é uma fonte de inesgotável sofrimento se a mesma não recebe ajuda. O único comportamento sexual aceitável tem de acontecer inserido no contexto de um casamento heterossexual e ter como último objetivo produzir crianças. A sexualidade das lésbicas, gays e bissexuais desafia e ameaça as regras não só sobre o comportamento sexual aceitável, mas também as ideias tradicionais do que é ser feminino e masculino. 

Eu arriscaria dizer que os sujeitos homossexuais ao assumirem sua condição natural em meio à sociedade heteronormatizadora. ((Heteronormatividade (do grego hetero, "diferente", e norma, "esquadro" em latim) é um termo usado para descrever situações nas quais orientações sexuais diferentes da heterossexual são marginalizadas, ignoradas ou perseguidas por práticas sociais, crenças ou políticas. Logo, apenas as expressões heterossexuais são consideradas normais) carregam uma bandeira revolucionária em caminho à justiça e equidade nas diferenças. 

RESUMINDO: Homofobia é um conceito acadêmico que é utilizado   em outras esferas para referir-se ao ódio, aversão e intolerância aos homossexuais, ou seja, pessoas que se relacionam afetivamente e sexualmente com pessoas com mesma identidade de gênero. É um fenômeno social complexo que engloba questões de gênero e de orientação sexual. 

Por motivos políticos, científicos também são utilizados os termos lesbofobia e transfobia. São termos que se referem à repulsa, aversão, intolerância ou ódio por pessoas homossexuais. É uma forma de preconceito. É não aceitar e não respeitar as práticas sexuais, as relações sociais e a cultura de LGBT, o que, pode levar às mais diversas formas de violência. 

Lesbofobia: A Lesbofobia (ou lesbifobia) é o medo, aversão ou intolerância por lésbicas, ou seja, por mulheres que se relacionam sexualmente com mulheres. Também é o caso do preconceito com lésbicas que, mesmo não sendo travestis e transexuais, se vestem, agem e falam parecido com os homens. É um fenômeno que engloba tanto a orientação sexual quanto a identidade de gênero. 

Transfobia: A transfobia refere-se à aversão, ódio e discriminação contra pessoas transsexuais e travestis (transgêneros). É um fenômeno social complexo que não se restringe a questão da orientação sexual, mais sim, motivado por questões de gênero (ser homem e ser mulher). É não aceitar e/ou respeitar a expressão identitária das pessoas, seu modo de viver, seus papéis sociais, seus sentimentos, seus desejos e seus direitos civis. 

Vale a pena lembrar que a transfobia refere-se à discriminação contra as pessoas transexuais, travestis e transgêneros. Seja intencional ou não, a transfobia pode causar severas conseqüências para quem sofre esta discriminação. As Pessoas transsexuais também podem ser alvo da homofobia, tal como as pessoas homossexuais podem ser alvo de transfobia, por parte de pessoas que incorretamente não distinguem identidade de gênero de orientação sexual. 

Fonte: Cadernos Temáticos da Diversidade.Sexualidade/ Secretaria de estado da Educação. Superintendência de Educação.Departamento de Diversidade. Núcleo de Gênero e Diversidade sexual. Curitiba: SEED/PR, 2009. 216 p. 


A homofobia, portanto,  é o termo usado para designar o preconceito e aversão aos homossexuais. Atualmente a palavra é usada para indicar a discriminação às mais diversas minorias sexuais, como os diferentes grupos inseridos na sigla LGBTI (lésbicas, gays, bissexuais, transexuais, transgêneros, travestis e intersexuais). A repulsa e o desrespeito a diferentes formas de expressão sexual e amorosa representam uma ofensa à diversidade humana e às liberdades básicas garantidas pela Declaração Universal dos Direitos Humanos e pela Constituição Federal.
 

A bandeira lgbt é o símbolo do orgulho, do reconhecimento e da cultura lgbt a nível mundial.  De Clique Aqui

HOMOFOBIA, É CRIME Saiba como identificar atos homofóbicos;Saiba como denunciar atos homofóbicos.  


ONU ESTÁ NESSA LUTA: LIDER RELIGIOSO DIZ SER CONTRA HOMOFOBIA ATÉ NO "CÉU": “Eu não veneraria um Deus que fosse homofóbico e é assim que me sinto para falar sobre isso”, afirmou. “Eu me recusaria a entrar em um paraíso homofóbico. Chegaria lá e diria: ‘sinto muito’, prefiro ir para ‘o outro lugar’”.  

HOMOFOBIA, DIGA NÃO! UMA LIÇÃO DE HUMANIDADE POR MEIO DA MÚSICA, "SAME LOVE". ASSISTA DO FESTIVAL GRAMMYS 2014, UMA LIÇÃO DE HUMANIDADE POR MEIO DA MÚSICA, "SAME LOVE", Composição: Ben Haggerty / Macklemore / Mary Lambert / Ryan Lewis 


OUTRAS PÁGINAS SOBRE O TEMA HOMOFOBIA E HOMOSSEXUALIDADE PUBLICADAS AQUI NO BLOG FILOPARANAVAI: De Clique Aqui


filoparanavai 2014

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...