quarta-feira, 22 de outubro de 2014

A ONDA VERMELHA TOMA CONTA DO BRASIL: DILMA PRESIDENTA, 13

domingo, 12 de outubro de 2014

Dez coisas que o Brasil vai perder se eleger Aécio Neves




Quem hoje tem 25 anos tinha 13 em 2002, quando Lula foi eleito pela primeira vez Presidente da República. Quem tem 18, tinha 6 naquela ocasião. Os eleitores entre estas idades viveram os oito anos do mandato do FHC como adolescentes ou como crianças. Não têm uma noção muito precisa, para dizer o mínimo, do que significa “perder direitos” ou “posições”. Entraram na maturidade “ganhando direitos e posições”, como o emprego, por exemplo.

Pode parecer hoje que tudo vai continuar assim, independentemente de quem estiver no Palácio do Planalto, no Ministério da Fazenda e no Banco Central. Mas não é bem assim. Aqui está uma lista do que o Brasil vai perder caso Aécio Neves seja eleito presidente, com Armínio Fraga como seu braço direito na economia.

1) Empregos – Aécio e Armínio costumam falar coisas vagas, imprecisas. Mas nisto Armínio foi muito claro: mais desemprego não faria mal ao país. Por quê? Porque na visão deste tipo de economista o desemprego ajuda a comprimir os salários para baixo, e isto torna o Brasil “mais competitivo”. Ou seja, eles pensam no modelo que está devastando as economias europeias, levando-as a`recessão prolongada e atingido sobretudo os mais jovens.

2) Melhores salários – Esqueça qualquer política de valorização do salário mínimo, dos salários em geral, das pensões e aposentadorias, da participação dos assalariados na renda nacional. As políticas sociais serão reduzidas, no mínimo. Tudo isto, que hoje faz o Brasil ser considerado um sucesso internacional, é condenável do ponto de vista desta visão econômica ortodoxa.

3) Poder aquisitivo – Em consequência, o poder aquisitivo da população é rebaixado. A economia entra em recessão para quem tem menos, embora possa até “melhorar” para quem já tem mais. É como o tipo de política que os conservadores estão mantendo e anunciando o aprofundamento na Inglaterra: compressão dos créditos e da disponibilidade monetária e de ajuda social (como para comprar a casa própria, por exemplo) para o mais pobres (pronunciamento do chanceler econômico inglês, George Osborne, que pode ser lido no The Guardian). Tudo em nome da “austeridade”. Sim: “austeridade”para quem já leva uma vida austera; abono para quem já desfruta de uma vida abonada.

4) Investimentos produtivos – A prometida e esperada política de juros elevados se destina a favorecer e manipular a especulação com os títulos da dívida pública. Assim foi no governo FHC (que também desfrutou de uma altíssima taxa de desemprego, por exemplo, 25% em Salvador, atingindo também sobretudo os mais jovens). Portanto, o ideal deste tipo de economia é tornar o Brasil atraente para os capitais especulativos – aqueles que se volatilizam e vão embora assim que surge a menor contrariedade ou aparecem praças mais atraentes. Como aconteceu na Irlanda, na Islândia, em Chipre e outros países que se tornaram momentaneamente as meninas dos olhos deste tipo de especulação. Já os investimentos em setores produtivos exigem um controle e uma orientação dada pelo Estado e sinalizada (apoiada e garantida) pelos bancos públicos, justamente o setor que o tipo de política prevista por Aécio e Armínio quer restringir e coibir.

5) Infra-estrutura – Esqueça. Este tipo de investimento, absolutamente necessário para garantir a dinâmica da economia e da vida brasileiras depende desta capacidade de garantir sua continuidade e orientação pelo setor público. O Brasil necessita de estradas, portos, aeroportos, rede ferroviária, transporte urbano, saneamento, hidrovias, energia, revitalização do seu setor industrial. Isto só é possível se houver um projeto claro para o país, se o país for um projeto, e de longo prazo. Para visões como as de Aécio e Armínio, o Brasil não é um projeto: é uma praça, um mercado a ser explorado.

6) Mobilidade – Este foi um dos grandes temas das manifestações de junho. Sem investimentos adequados em infra-estrutura, não vai haver melhor transporte nem melhor circulação urbana, nada disso. Mas “mobilidade”não significa apenas transporte: significa também mobilidade social, investimento em educação, em acesso a ela, à universidade, programas de apoio a ela em todos os níveis simultaneamente. Se o programa dos candidatos Aécio e Armínio preveem a diminuição do poder de intervenção do Estado, adeus tais investimentos.

7) Reforma política – Que reforma política poderá fazer um partido cuja aliança histórica principal foi com o DEM, ex-PFL, o velho coronelismo travestido de liberalismo, que manietava o Nordeste quase inteiro. Aliás, este é um tema interessante: para um certo tipo de pensamento preconceituoso, nordestino não sabe votar quando passa a votar em frentes populares; quando votava no PFL, era a gema das eleições brasileiras. 

8) Luta contra a corrupção - Quem precisa de total autonomia não é o Banco Central, mas sim a Polícia Federal, como tem acontecido nos últimos anos. Nunca a Polícia federal foi tão ativa em levantamentos de caso de corrupção, e os chamados crimes do colarinho branco. Já nos tempos de FHC a dinâmica da PF era muito menor, vivíamos sob o programa do “Engavetador Geral da República”, lembra-se? Aliás, o número de CPIs engavetadas pelas maiorias do PSDB e seus aliados em S. Paulo e Minas é inigualável. 

9) Segurança – Se você acha que aumentar a segurança é baixar a idade penal, pode tirar ou por o cavalo da ou na chuva. Aumento de segurança se consegue com políticas de pleno emprego, educação, reforma das polícias militares e estaduais, tudo aquilo que empodera e revê os padrões policiais do país. Nosso sistema carcerário e judicial precisa de reformas profundas. Já temos universidades do crime nas penitenciárias, para adultos. Com os mais jovens, vamos criar também as escolas médias para a criminalidade. 

10) Soberania – O Brasil é um dos únicos países que tem relações diplomáticas com todos os países da ONU. Sua aposta em fóruns multilaterais e na diversificação de sua política externa tem dado resultados muito bons para o país, ajudando a dinamizar relações comerciais e portanto a impulsionar nossa economia num momento de recessão mundial. A visão do PSDB acusa a política externa de nosso país de ser “ideologizada”, mas “ideologizada” será a deles, que querem arrefecer o Mercosul e a integração com os BRICS em nome de “se reaproximar” – leia-se, nos reatrelar de modo subalterno – àquilo que de mais recessivo existe hoje no mundo – as políticas periclitantes dos EUA e da Zona do Euro, nos reintegrando a um clima ideológico herdeiro dos tempos da Guerra Fria. 

O ideal do PSDB, declarado por FHC quando assumiu a presidência, era “o fim da era Vargas”. Sim, mas não para diante, porém para trás, em direção à República Velha, coronelícia (aliança do PSDB com o antigo PFL, hoje DEM, e seus antigos “currais eleitorais” no Nordeste, em Santa Catarina, etc.). Este ideal esteve presente desde antes, quando FHC literalmente presidiu a reforma monetária. O nome da nossa moeda passou a ser o “real”. Aparentemente uma palavra forte, cheia de “realidade”. Mas na verdade uma evocação da moeda dos tempos da República Oligárquica, do Império, que de tão desgastada que foi ao longo do temo tornou-se o popular “milréis”, “mil reais”. Mas é verdade que hoje o ideal do PSDB não é, de fato, tornar o Brasil um país apenas agrário-exportador, como era nos tempos da República Velha. Tornou-se o ideal de um país importador: importador da especulação financeira, da recessão, da subserviência programada. 

Se conseguirem impor suas políticas, vão de novo quebrar o país, como já aconteceu em 2000/2002. Hoje o Brasil não é mais devedor, mas credor do FMI e da União Europeia. Nem é monitorado. Embora o Brasil não seja membro efetivo, mas convidado, da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômicos, seu programa de luta contra a corrupção foi tão elogiado pela ONU que o levou a presidir a comissão temática da OCDE a respeito. O Brasil hoje não é mais parte da problemática, mas da solucionática. 

É tudo isto que o Brasil perderá, se o candidato Aécio e seu cardeal econômico, Armínio Fraga, forem sufragados.

ÓTIMO ARTIGO DE Flávio AGUIAR
publicado originalmente em: http://www.cartamaior.com.br/

filoparanavai 2014

sábado, 11 de outubro de 2014

61 razões para votar Dilma 13... "EU TENHO LADO, O MEU LADO É AO LADO DO POVO"




1 - Sim pelo Prouni. 

2 - Sim pelo Pronatec. 

3 - Sim pelo Pronaf. 

4 - Sim pelo Minha Casa Minha Vida. 

5 - Sim pelo Luz Para Todos. 

6 - Sim pelo Água Para Todos. 

7 - Sim pelo Ciências sem Fronteiras. 

8 - Sim pela redução do desemprego a menos de 5%. 

9 - Sim pelo pagamento da dívida com o FMI e ainda virar credor do mesmo. 

10 - Sim pela inflação cortada pela metade. 

11 - Sim pelo Fome Zero que matou a fome de 30 milhões de brasileiros. 

12 - Sim pelos 50 milhões que agora tem consulta médica. 

13 - Sim pela redução de 20% nas internações em hospitais como efeito do Mais Médicos. 

14 - Sim pelo fim do uso privado do dinheiro público em aeroportos e afins. 

15 - Sim pelo Brasil entre as 7 maiores economias do mundo. 

16 - Sim pelas 18 Universidades Federais construídas. 

17 - Sim pelas 422 escolas técnicas construídas. 

18 - Sim pela destinação de 10% do PIB para a educação. 

19 - Sim pelo governo que pune doa a quem doer os responsáveis por atos de corrupção. 

20 - Sim pelo não racionamento de água em energia. 

21 - Sim pela triplicação da destinação da verba pra saúde e educação. 

22 - Sim pela quantidade de emprego farto. 

23 - Sim pela facilidade de se fazer curso superior. 

24 - Sim pela primeira vez em que cidades do interior se beneficiam de fato com investimentos federais. 

25 - Sim pelo PAC Infraestrutura. 

26 - Sim pelo PAC Mobilidade Urbana. 

27 - Sim pelo PAC Saneamento Ambiental. 

28 - Sim pela redução do desmatamento na Amazônia. 

29 - Sim pelo Pre-Sal. 

30 - Sim pelo Proinfa de estímulo à energia alternativa, limpa e renovável. 

31 - Sim pelo fortalecimento do MPF, CGU e TCU no combate à corrupção. 

32 - Sim pela política econômica de controle da inflação com inclusão social. 

33 - Sim pela liderança na criação dos BRICS. 

34- Sim pela instituição de uma política de relação internacional que abre mercados nos países emergentes sem fechar as portas dos países industrializados. 

35 - Sim pelo fortalecimento do Mercosul. 

36 - Sim pela valorização das relações culturais com os povos latino-americanos. 

37 - Sim pela construção de uma nova imagem do Brasil perante o mundo. 

38 - Sim pela aprovação da Lei Maria da Penha que aumentou em 390% a rede de atendimento à mulher. 

39 - Sim pelo Mais Cultura, fortalecendo as artes, a tradição e o folclore brasileiras. 

40 - Sim pela estruturação da Defensoria Pública da União - DPU. 

41 - Sim pela realização das metas dos Objetivos do Milênio da ONU de redução da pobreza e da mortalidade infantil e aumento do abastecimento público de água potável. 

42 - Sim pelo compromisso de novas metas dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. 

43 - Sim pela destinação de 75% para educação e 25% para saúde dos royalties do petróleo. 

44 - Sim pela realização da Copa do Mundo e das Olimpíadas no Brasil. 

45 - Sim para que o Brasil do neoliberalismo de 12 anos atrás não volte NUNCA MAIS! 

46 - Sim pelo aumento das reservas de 360 bilhões de dólares negativos no governo FHC para meio bilhão positivo no governo trabalhista; 

47 - Sim pela redução da inflação de 1,5% ao mês no governo neoliberal para 0,01% em julho 2014; 

48 - Sim pela abertura de 17 mil leitos hospitalares na rede preventiva de saúde pública; 49 - Sim pela estruturação da órgão competente, formado por Procuradores da República, Delegados da PF e Auditores da Receita Federal para a recuperação de U$ 20 bilhões de ativos desviados pela prática de crimes de corrupção, exportação e lavagem de capital; 

49 - Sim pelas 2.300 operações da Polícia Federal - FHC de Lula e Dilma de combate à corrupção, comparadas às 40 realizadas durante 8 anos durante o governo FHC; 

50 - Sim pelo combate sistemático, organizado e institucionalizado de combate à corrupção (Paulo Octávio, do PSDB/DEM - DF, por ex., foi obrigado a devolver R$ 600 milhões aos cofres públicos); 

51 - Sim pela aprovação da Emenda Constitucional que enquadrou a corrupção como crime hediondo; 

52 - Sim pela aprovação e regulamentação das leis penais de tipificação dos crimes de quadrilha, organização e associação criminosa, tornando possível acusar, julgar, condenar, prender os criminosos de colarinho branco, além de recuperar o produto do crime (dinheiro e bens) para o patrimônio público e o erário; 

53 - Sim por liderarem um partido que, embora há 12 anos no Poder Central, é o menos corrupto do Brasil, segundo dados do TSE; 

54 - Sim pelo fortalecimento do esporte olímpico brasileiro, que passou a conquistar medalhas em setores nobres como ginástica; 

55 - Sim pelo PRONAF de estímulo à agricultura familiar; 

56 - Sim pelo Brasil Sorridente que incluiu o tratamento de dentes na rede pública de saúde; 

57 - Sim pelo Viver sem Limites de atenção à pessoa portadora de deficiência física; 

58 - Sim pelo apoio à luta do Movimento dos Sem Teto e do Movimento dos Sem Terra; 

59 - Sim pelo Brasil Sem Miséria, o maior programa de ascensão social do Mundo; 

60 - Sim por um punhado de outras conquistas, como a criação da TV Brasil/EBC, a concessão de canais às emissoras de rádio e televisão comunitárias, lançando a semente para o sistema democrático de comunicação social etc." 

61 - Valorização do Salario Mínimo. 

VOTE CERTO. VOTE 13. DILMA 13. 
POR UM BRASIL MAIS DESENVOLVIDO. DILMA 13. ..

filoparanavai 2014

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

SEGUNDO TURNO DA ELEIÇÃO PRESIDENCIAL: SOCIALDEMOCRACIA DE DILMA X NEOLIBERALISMO DE AÉCIO; PT DOS TRABALHADORES X PSDB DOS RICAÇOS...

                                  



Começou a campanha de segundo turno, envolvendo Dilma e Aécio, PT e PSDB. NÃO PODEMOS DEIXAR O BRASIL RETROCEDER...

As forças conservadoras e reacionárias com compromissos apenas com o sistema financeira agregam-se ao lado de Aécio, inclusive Marina e seu partido que pregava a "nova política" que de tão nova já nasceu com barbas. O projeto de um governo que coloca o Estado à serviço da população, especialmente dos mais humildes; está ameaçado. Dilma conta contra si não apenas com a união dos conservadores e reacionários, conta com o poder da mídia manipuladora dia e noite atacando a presidenta, conta contra si também  com o apoio do mercado que investe obviamente e preferencialmente a favor de Aécio. 

Essa é a campanha do ódio, do anti-petismo; que já levou essa semana a uma onda de preconceitos e discriminações contra os nordestinos. Tudo originado da fala de FHC - padrinho de Aécio - que disparou preconceito contra os nordestinos. 

Será uma eleição difícil. precisamos nos mobilizar. Precisamos mostrar porque Aécio perdeu Minas Gerais; precisamos mostrar o que Aécio tem em comum com seu braço direito FHC. Temos que mostrar porque Aécio será o presidente dos ricos, o presidente do desemprego, o presidente exterminador do futuro. 

Dilma e Lula construiram com muito trabalho uma melhora substancial na vida da população brasileira, e esse projeto está ameaçado agora de estar chegando ao fim. O Brasil não pode voltar para as mãos dos mais ricos. Essa história a gente já conhece. Por isso, Aécio jamais...

LEIA ESTE ESCLARECEDOR ARTIGO PARA ENTENDER O PROJETO DE GOVERNO DE AÉCIO, O ESTADO MÍNIMO E O NEOLIBERALISMO DO PSDB: Dê clique aqui 

MAIS SOBRE NEOLIBERALISMO: Dê clique aqui 

LEIA SOBRE O NEOLIBERALISMO DOS GOVERNOS DO PSDB DE AÉCIO: Dê clique aqui

10 anos de governos pós-liberais no Brasil: Dê clique aqui










filoparanavai 2014

terça-feira, 30 de setembro de 2014

ENEM, AULÕES, DICAS DE REDAÇÃO, SIMULADOS, CONFIRA!!!!

Ao final deste post confira os simulados grátis


Os aulões preparatórios do programa Gabaritando Enem voltaram à programação da TV éParaná [http://www.e-parana.pr.gov.br/], captada em todo o Brasil via antena parabólica,  a partir de sábado (02), das 14h às 16h, e em todos os sábados seguintes durante três meses. 




O material é inédito e produzido com professores da rede estadual de educação. Através do site rtve.pr.gov.br os telespectadores podem consultar em qual canal a éParaná é transmitida em sua cidade, ou acompanhar a programação ao vivo pela internet. 

O conteúdo também será reprisado nas terças, quartas e sextas-feiras, às 17h30, além de ficar disponível para ser baixado ou assistido no portal Dia a Dia Educação, pelo endereço www.diaadia.pr.gov.br, nos ambientes de Alunos e Educadores.

O Gabaritando Enem foi lançado no ano passado pela Secretaria da Educação em parceria com a Secretaria de Comunicação Social, com o objetivo de oferecer aulas preparatórias gratuitas pela televisão e internet para os alunos que vão fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no final do ano. 

Confira a programação: 

02/08 Matemática e Física 
09/08 Química e Biologia 
16/08 Língua Portuguesa e Língua Estrangeira Moderna 
23/08 Redação e Língua Estrangeira Moderna – Espanhol 
30/08 Arte Geral, Arte (Artes Visuais e Teatro), Arte (Dança e Música) e Educação Física 
06/09 História e Geografia 
13/09 Sociologia e Filosofia 
20/09 Matemática, Física, Química e Biologia 
27/09 Língua Portuguesa e Redação 

04/10 História, Geografia, Sociologia e Filosofia 
11/10 Língua Estrangeira Moderna – Inglês, Língua Estrangeira Moderna – Espanhol, Arte (Artes Visuais e Teatro) e Arte (Dança e Música) 
18 /10 Educação Física, Química, Física e Biologia 
25 /10 História, Geografia, Sociologia e Filosofia 
01 /11 Matemática, Língua Portuguesa e Redação 

Todo o material do Gabaritando Enem de 2013 continua online e pode ser utilizado pelos estudantes como um apoio em seus estudos. São aulas, simulados, questões comentadas e dicas, também disponíveis no portal Dia a Dia Educação: www.alunos.diaadia.pr.gov.br

ENEM – As provas do Enem serão realizadas nos dias 8 e 9 de novembro de 2014, com início às 13h, horário oficial de Brasília. Serão quatro provas objetivas, com 45 questões de múltipla escolha cada uma, e uma redação. 

Os resultados do Enem são utilizados por programas do Ministério da Educação, como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para ingresso no ensino superior público; o Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec), que seleciona estudantes para cursos técnicos; e o Programa Universidade para Todos (Prouni), de bolsas para universidades privadas; e o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Além disso, participantes maiores de 18 anos que ainda não concluíram a educação básica podem solicitar certificação no ensino médio caso atinjam a média necessária.


 
filoparanavai 2014
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...