http://filoparanavai.blogspot.com.br/

sábado, 16 de maio de 2015

HOMOFOBIA É CRIME! DENUNCIE!

Saiba como identificar atos homofóbicos;
Saiba como denunciar atos homofóbicos.

 



Muitas vítimas de homofobia sentem-se impelidas a reprimir sua orientação sexual, seus hábitos e seus costumes, sendo freqüente a ocorrência de casos de depressão. É importante salientar que todo ser humano, independente de sua sexualidade, tem o direito ao tratamento digno e a um modo de vida aberto à busca de sua felicidade. A procura de ajuda psicológica e da Justiça é essencial para que a discriminação homofóbica afete da menor maneira possível a vida das vítimas.

A Constituição Federal brasileira não cita a homofobia diretamente como um crime. Todavia, define como “objetivo fundamental da República” (art. 3º, IV) o de “promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade, ou quaisquer outras formas de discriminação”. É essencial ter consciência de que a homofobia está inclusa no item “outras formas de discriminação” sendo considerada crime de ódio e passível de punição.

Através da Lei Estadual 10.948/2001, o estado de São Paulo estabeleceu diferentes formas de punição a diversas atitudes discriminatórias relacionadas aos grupos de pessoas que tem manifestação sexual perseguida por homofóbicos e intolerantes. Atualmente está em tramitação no Congresso o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 122/2006 que tem como proposta a criminalização da discriminação gerada por diferentes identidades de gênero e orientação sexual.

Como Identificar 
A expressão homofóbica pode se dar das mais variadas formas. Em alguns casos a discriminação pode ser discreta e sutil, entretanto, muitas vezes, o preconceito se torna evidente com agressões verbais, físicas e morais. Qualquer que seja a forma de discriminação é importante a vítima denunciar o acontecido. A orientação sexual não deve, em hipótese alguma, ser motivo para o tratamento degradante de um ser humano. o agressor costuma usar palavras ofensivas para se dirigir à vítima ou aos LGBTI como um todo;

muitas vezes o agressor não reconhece seu preconceito e trata as ocorrências de discriminação como brincadeiras;

é comum o agressor fazer uso de ofensas verbais e morais ao se referir às minorias sexuais; a agressão física ocasionada pela homofobia é comum e envolve desde empurrões até atitudes que causem lesões mais sérias, como o espancamento;

o agressor costuma desprezar todas as formas de comportamento da vítima, considerando-os desviantes da normalidade;

o homofóbico costuma se dirigir à vítima como se esta fosse inferior, nojenta, degradante e fora da normalidade;

é costume do homofóbico a acusação de que as minorias sexuais atentam contra os valores morais e éticos da sociedade;

o agressor costuma ficar mais agressivo ao ver explícitas demonstrações amorosas ou sexuais que fogem ao padrão heteronormativo (por exemplo: mãos dadas, beijos e carícias)

o agressor costuma negar serviços, promoção em cargos empregatícios e tratamento igualitário às vítimas;

Como Denunciar?

Não há justificativas para qualquer tipo de discriminação causada pela homofobia. Os LGBTI têm direito à expressão amorosa e sexual, e a explicitação desta não é desculpa para um comportamento agressivo. É muito importante denunciar qualquer tipo de atitude homofóbica. Toda Delegacia tem o dever de atender as vítimas de homofobia e de buscar por justiça. Além de ser um direito, é dever de todo cidadão denunciar esse tipo de ocorrência. Através da denúncia protege-se não apenas uma vítima, mas todo um grupo que futuramente poderia ser atacado.

A vítima deve exigir seus direitos e registrar um Boletim de Ocorrência. É de essencial importância buscar a ajuda de possíveis testemunhas na luta judicial a ser iniciada. Em caso de agressões físicas, a vítima não deve lavar-se nem trocar de roupa, já que tais atos deslegitimariam possíveis provas que devem ser buscadas através de um Exame de Corpo de Delito (a realização desse exame é indispensável). Se a violência acontecer através de danos à propriedade, roupas, símbolos, bandeiras e etc, deve-se deixar o local e os objetos da maneira como foram encontrados para que as autoridades competentes possam averiguar legitimamente o acontecido. 

DISCRIMINAÇÃO HOMOFÓBICA, DENUNCIE JÁ DISQUE 100


SAIBA MAIS AQUI: 
http://www.guiadedireitos.org/
 

  



filoparanavai 2015

A HOMOFOBIA SEGUE MATANDO... ATÉ QUANDO?

                                                           
Sabemos muitos bem que por detrás dessa prática de ódio contra os sujeitos homossexuais estão fundamentos/argumentos religiosos moralistas ensinados dia e noite, por séculos, pelas igrejas, especialmente pela Católica e hoje, sobretudo, pelo fanatismo religioso evangélico. Aí estão os malafaias da vida, felicianos, bolsonaros...

Um ódio alimentado culturalmente em nome de Deus contra aqueles que sempre foram vistos como doentes, depravados, desviados, inimigos de Deus, por leituras mal feitas das escrituras, especialmente do Velho Testamento. 

Pessoas que se dizem cristãs mas que nada representam concretamente dos ensinamentos do Cristo vivem, quotidianamente, pregando e disseminando esse ódio, a HOMOFOBIA. 

A religião poderia ajudar-nos a mitigar a homofobia, leis mais duras também. Mas seguimos assim, a cada dia simplesmente assistindo a mais e mais assassinatos de pessoas que por pecado apenas tem o fato de serem diferentes. De um lado as religiões que persistem em seus moralismo sexual fanatizado e de outro, legisladores que não representam o povo e que legislam em própria causa, apresentando-se à sociedade como defensores dos "bons costumes" e em nome de Deus. Mas se investigarmos um pouquinho a ficha corrida deles perceberemos que "para eles" Deus é contra os homossexuais, mas a favor de deputados e senadores que roubam os cofres públicos, só para citar um exemplo dessa excrescência.

326 mortes de gays, travestis e lésbicas no Brasil, incluindo 9 suicídios. Um assassinato a cada 27 horas. Um aumento de 4,1% em relação ao ano anterior (313). 

LEIA O RELATÓRIO NA ÍNTEGRA: 





ENTENDA O LADO MAL DA RELIGIÃO QUE É CAPAZ DE MATAR 

Confrontos religiosos e fundamentalismos 
Com Leandro Karnal 

[Leandro Karnal (São Leopoldo, RS, 1963) é um historiador brasileiro. Atualmente ministra aulas na UNICAMP e na Casa do Saber na área de História da América e tem publicações sobre ensino de História. É autor de Teatro da Fé (Editora Hucitec); História na Sala de Aula (Editora Contexto) e Estados Unidos - a formação da nação (Editora Contexto). Possui graduação em Historia pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (1985) e doutorado em História Social pela Universidade de São Paulo(1994). Foi também curador de diversas exposições, como A Escrita da Memória, em São Paulo. Colaborou na elaboração curatorial de museus, como o Museu da Língua Portuguesa em São Paulo. Além de ser reconhecido pelo seu enorme domínio da oratória, também é poliglota.]

           

GENTE INTELIGENTE E HUMANA É OUTRA COISA OS FUNDAMENTALISTAS CRISTÃOS CATÓLICOS/EVANGÉLICOS QUE USAM A BÍBLIA DOS JUDEUS, DEVERIAM APRENDER COM OS PRÓPRIOS JUDEUS A SER MAIS HUMANOS. OS JUDEUS EVOLUÍRAM, ESSES FUNDAMENTALISTAS PARARAM NO TEMPO. JUDEU DEFENDE CASAMENTO CIVIL [IGUALITÁRIO] PARA CASAIS HOMOAFETIVOS... 

RABINO NILTON BONDER, um dos líderes da Comunidade Judaica no Brasil, coloca os líderes religiosos conservadores, católicos e evangélicos, no bolso, e dá uma lição de humanidade...

            
Filoparanavai 2015

DESSA PARTE DE NOSSA HISTÓRIA EU ME ORGULHO: EU AJUDEI ESCREVER...

Ao ler que na Espanha, especialmente na região da Andaluzia a mais afetada pela crise econômica que se abate sobre o país no momento, grupos civis, ou seja, ONGs, estão organizando nas férias atividades extracurriculares nas escolas para que as crianças e adolescentes permaneçam nelas a fim de que possam receber ao menos merenda pois que, em casa muitas dessas crianças e adolescentes não terão acesso à alimentação, me inspirei a escrever esse "ensaio" de artigo e refletir um pouco sobre o atual momento conjuntural político/econômico do Brasil. 



O desemprego na Espanha  já chega quase aos 30%, e entre os jovens já passa dos 40%. O desemprego, numa sociedade capitalista, obviamente joga todos os dias milhares de pessoas na pobreza. A Espanha é apenas um exemplo dos malefícios que se abatem sobre as grandes potências econômicas. O povo paga o preço com a pobreza extrema para que sobre dinheiro a fim de que o Estado possa salvar instituições financeiras e empresas falidas. É como aquela passagem bíblica em que se tira até o pouco daquele que quase nada tem; para dar então àquele que tudo tem...

Estava eu aqui pensando com "meus botões" como essa gente que nutre um ódio de classe contra Lula e Dilma, ódio esse alimentado por uma profunda alienação, ignorância, preconceito, ódio produzido e disseminado pelas elites dominantes que dia e noite utilizam-se dos meios de comunicação para difundirem sua ideologia; é um tanto retardada, não conhece a história de seu próprio país.

Em 2003, Lula mudou os rumos da economia brasileira. Engana-se quem pensa que Lula deu continuidade à política econômica do governo de FHC e que na verdade não era do FHC, era do "Consenso de Washington", era do FMI - Fundo Monetário Internacional. 


A primeira grande cartada de Lula foi colocar o FMI para correr, o mesmo FMI que hoje tenta salvar as potências europeias gerando desemprego e pobreza. O mesmo FMI que hoje detona a vida do povo na Grécia. Com Lula o Brasil passou de devedor à credor.

Só mesmo quem não conhece a história do Brasil ou é retardado das ideias não se lembra que bastava um espirro lá fora e o Brasil já ia para a UTI e quem pagava a conta da UTI sempre era o povo.


O Brasil devia bilhões ao FMI e para emprestar sempre mais precisava aceitar as ingerências do Fundo que determinava diminuição do poder aquisitivo do salário, desemprego, privatizações, e outras receitas que nunca eram boas para o povo.

Eu admiro Lula e Dilma, e mais que isso, tenho orgulho de ter vivido para votar neles e viver sob os seus governos. Nossa República Democrática exige a convivência harmoniosa entre os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Por isso eu os admiro. Mesmo com um Congresso podre como o nosso - corrupto e que não representa o povo, aí está o mensalão para comprovar, Lula e Dilma conseguiram governar com o povo e para o povo. Isso, como diz o Lula, "nunca aconteceu antes na história do Brasil". Essa não é uma frase de efeito, ela é literalmente verdadeira.


Nesse momento aliás eu leio uma notícia que ilustra muito bem o que estou dizendo, como o Executivo é refém de um Congresso corrupto: "O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), decidiu jogar ainda mais pesado contra o Palácio do Planalto; avisou que se o procurador-geral Rodrigo Janot for reconduzido ao cargo, em meados deste ano, a presidente Dilma Rousseff conhecerá o que chamou de "inferno" no parlamento; ou seja, um quadro ainda pior do que o atual, em que o governo vem sofrendo sucessivas derrotas; investigado na Lava Jato, depois de ter sido acusado pelo doleiro Alberto Youssef de receber recursos do grupo Mitsui, Cunha suspeita que o Planalto estimula a ação de Janot contra ele; presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), também promete guerra caso Janot seja reconduzido" [Leia mais em: http://www.brasil247.com/]

Só me lembro de JANGO com um amor imenso pelo povo. Mas os militares em 64 não lhe deram tempo para demonstrar todo esse amor.

Nunca nesse país o povo teve vida boa como a que conquistou com os avanços nos governos Lula e Dilma. Acesso a muitos bens materiais e sociais que antes eram privilégios voltados apenas para classes sociais abastadas. Moradias, carros, educação, saúde, etc... etc... Nunca houve tanto investimento em infraestrutura [VEJA AQUI AS MUITAS OBRAS CONTRATADAS, EM ANDAMENTO OU JÁ CONCLUÍDAS PELO BRASIL TODO QUE HOJE É UM GRANDE CANTEIRO: http://www.pac.gov.br/]

Lula e Dilma conseguiram o feito de preservarem empregos, mesmo com baixo crescimento econômico. Enquanto lá fora o desemprego cresce e a pobreza também, aqui Lula e Dilma conseguiram manter o Brasil em uma situação econômica equilibrada. Nada que se compare com o Brasil de antes de Lula.

Aí, em um momento no qual precisávamos estar todos unidos para enfrentar essa crise, aparecem uns abestalhados falando contra Dilma, e curioso, os empregos que ainda os sustentam hoje é graças à política econômica da Dilma. Mas não, os abestalhados querem a saída da Dilma e a entrada dos neoliberais no governo. 


Aécio Neves é o "espectro" dessa bandeira.

Recorrem à corrupção investigada na Petrobrás como se fosse o primeiro caso de corrupção do país e que teria sido inventado pelo PT. Esquecem-se que o PT não inventou corrupção nenhuma, a corrupção graceja em todos os meios da vida política, social e econômica. E pode até ser que seja o primeiro caso sim, MAS O PRIMEIRO CASO DE CORRUPÇÃO QUE É VERDADEIRAMENTE INVESTIGADO. E até nisso o governo de Dilma agora e de Lula, antes, merece o reconhecimento positivo. Pois nunca antes nesse país investigou-se corrupção com tal intensidade. Ora, não podemos aceitar que usem isso para derrubar um governo legítimo e que é voltado para o povo. Aliás, de corrupção esses partidos de oposição que hoje defendem o golpe entendem muito bem.

Quando defendem a volta dos neoliberais e a volta de Aécio, não sabem os abestalhados que estão defendendo a volta do desemprego e da pobreza ao Brasil. Todos os dias levanto as mãos aos céus e agradeço a Deus por nos ter livrado de um governo de Aécio. Quando olho para o nosso Paraná e vejo o governo do PSDB de Richa detonando com a economia de nosso Estado, desmontando os serviços públicos, aumentando impostos, mergulhado em profunda corrupção, além de tratar negociações trabalhistas com servidores de forma ditatorial jogando bombas e atirando balas de borracha contra manifestantes; fico imaginando o que seria o Brasil nesse momento nas mãos de Aécio. Com certeza, desemprego e pobreza. Nosso petróleo a essa hora já estaria nas mãos dos gringos.

Leio notícias nesse momento sobre os impactos da crise econômica na Europa. Essa crise iniciada em 15 de setembro de 2008, com a quebra de um banco norte americano até hoje afunda as economias das grandes potências jogando na pobreza milhões de pessoas. Para relembrar o início de tudo isso:  A quebra do Lehman Brothers, o segundo maior banco de investimentos dos Estados Unidos, fundado há 158 anos, levou o maior pânico já visto em Wall Street em décadas. O anúncio do colapso do Lemon Brothers provocou instabilidade nas bolsas do mundo inteiro.[VER MAIS EM: http://expresso-noticia.jusbrasil.com.br/]

Ou as pessoas não sabem ou fingem não saber que a economia mundial hoje está no buraco. Que o neoliberalismo faliu enquanto proposta teórica de recuperação da economia capitalista. Bom, fracassou, é claro, para o povo trabalhador, pois esse sempre paga o preço.

E.U.A., Japão, China, Rússia, Europa toda, todos os países estão hoje em profunda crise econômica. Esses países em cima da propaganda manipulada escondem uma realidade muitas vezes difícil sob o ponto de vista social: os países tem índices elevados de pobreza decorrente de baixos salários, e desemprego crescente.

O desempenho da economia mundial está prejudicando a retomada do mercado de trabalho em vários países. A Zona do Euro segue em estagnação econômica e está com uma taxa média de desemprego de 11,3%, sendo de 12,7% na Itália e de 23,2% na Espanha. Em recuperação lenta, os Estados Unidos tem uma desocupação de 5,5%. [VEJA MAIS EM: http://vermelho.org.br/]

A coisa não anda bem para nós? Para eles muito menos. Mas é graças a um governo de Dilma e antes, de Lula, que hoje temos como respirar, planejar, e trabalhar, para que o Brasil, unido, siga em frente, superando essa crise econômica mundial sem jogar milhões de brasileiros na pobreza de novo.

Vamos dar um basta à mídia tradicional e seu discurso golpista. Vamos rechaçar lideranças políticas das classes médias que pregam o ódio e que querem ver o Brasil em uma situação de caos. Vamos encaminhar o PSDB, o DEM, O Solidariedade, o PPS, e outros partidos que votam e lutam contra o Brasil, contra o povo trabalhador e defendem as elites dominantes, ao ostracismo total.

 
 

Vamos ler mais, para ter uma leitura mais realista do Brasil!!!


Filoparanavai 2015

sexta-feira, 15 de maio de 2015

ÉTICA: Problematizando o conceito de "Eudemonia"


 
Estritamente falando, o termo "eudemonia" é uma transliteração da palavra grega para prosperidade, boa fortuna, riqueza ou felicidade. Em contextos filosóficos a palavra grega "eudaimonia" tem sido tradicionalmente traduzida simplesmente por "felicidade", mas muitos estudiosos e tradutores contemporâneos tentaram evitar esta interpretação por poder sugerir conotações que nada ajudam no espírito do leitor acrítico. (Por exemplo, não se refere a um estado emotivo, nem é coextensional com a concepção utilitarista de felicidade, apesar de ambas as noções poderem, em alguns pensadores, contar como aspectos da eudemonia.) Dado que a palavra é composta pelo prefixo eu- (bem) e pelo substantivo "daimon" (espírito), tem-se proposto em alternativa expressões como "viver bem" ou "florescimento". Mas o consenso aparente é que "felicidade" é adequado se o termo for apropriadamente compreendido no contexto filosófico da antiguidade.

Aristóteles escreveu que todos concordam que a eudemonia é o bem principal para os seres humanos, mas que há diferenças consideráveis de opinião quanto ao que consiste a eudemonia (Ética a Nicômaco I.2, 1095a15-30). Na imagem de Sócrates apresentada por Platão nos primeiros diálogos socráticos, o protagonista adota a perspectiva de que a eudemonia consiste em viver uma vida justa, o que exige conhecimento, na forma de uma espécie de previdência (especialmente no Górgias). Nas obras posteriores (por exemplo, na República), Platão continuou a argumentar que a virtude é suficiente para a felicidade, e que os bens amorais não trazem eudemonia (a chamada tese da suficiência).

Como é bem sabido, Aristóteles concordava que a virtude é uma condição necessária para a eudemonia, mas sustentava que não é suficiente (a chamada tese da necessidade). Do seu ponto de vista, a "eudemonia" aplica-se mais apropriadamente não a qualquer momento particular da vida de uma pessoa, mas a uma vida inteira que tenha sido bem vivida. Apesar de a virtude ser necessária para uma vida dessas, Aristóteles argumentou que certos bens amorais podem contribuir para a eudemonia ou impedi-la pela sua ausência. Há alguma controvérsia entre os estudiosos quanto a saber como acabou Aristóteles por caracterizar a vida feliz, a vida marcada pela eudemonia. Ao longo dos primeiros nove livros da Ética a Nicômaco, Aristóteles parece pensar que uma vida feliz é a que envolve centralmente a atividade cívica. As virtudes que caracterizam a pessoa feliz são em si definidas como estados da alma que resultam de certas interações que têm lugar nas relações sociais. Mas no livro X, o argumento de Aristóteles é aparentemente que uma vida de contemplação do teórico (theoria) é o gênero mais feliz de vida, podendo até a vida cívica impedir este gênero de atividade (apesar de a vida privada de contemplação parecer pressupor a vida pública, dado que sem a vida pública para produzir bens e serviços, o filósofo é incapaz de viver em isolamento).

 
Onde Sócrates, Platão e Aristóteles concordam é na natureza objetiva da eudemonia, o que os afasta nitidamente da moralidade popular do seu tempo. Numa famosa passagem do Górgias (468e-467a), Sócrates choca Pólo argumentando que quem pratica o mal fica na verdade a perder relativamente a quem ele prejudicou, e que quem pratica o mal está condenado a ser infeliz até ser punido. A vítima do mal, em contraste, pode ser feliz ainda que seja vítima do maior sofrimento físico às mãos de quem pratica o mal. O Górgias conclui com um mito sobre o destino da alma humana depois da morte que torna claro que só o estado da alma, e não o estado físico do corpo, determina se alguém é feliz ou infeliz.

Apesar de Aristóteles não concordar que a felicidade não poderia diminuir de modo algum em virtude do sofrimento físico, não era por pensar que os sentires são decisivos para a felicidade. Pelo contrário, Aristóteles argumentou a favor de um padrão objetivo da felicidade humana, com base no seu realismo metafísico. Na Ética a Nicômaco (I.7), Aristóteles argumentou que a excelência humana deve ser interpretada em termos do que comumente caracteriza a vida humana (o chamado argumento funcional ou ergon). Este argumento funda-se claramente na sua doutrina da causalidade, segundo a qual qualquer membro de uma categoria natural se caracteriza por quatro causas: formal, material, eficiente e final. A causa final é inseparável da formal: ser uma certa categoria de coisa é apenas funcionar de um certo modo, e ter um certo gênero de função é apenas ser uma certa categoria de coisa. A função humana (ergon) encontra-se na atividade das nossas faculdades racionais, em particular a sabedoria prática (phronesis) e a ilustração (sofia). Dado que a atividade destas duas faculdades não é regulada por considerações subjetivas mas pelas restrições formais da própria razão, a excelência humana está determinada objetivamente: viver bem é viver uma vida caracterizada pelo uso excelente das nossas faculdades racionais, e esta excelência caracteriza-se pela aplicação bem-sucedida de regras gerais da vida virtuosa a situações particulares que exigem deliberação moral.

Aristóteles rejeitou perspectivas alternativas da felicidade por não estarem à altura do seu ideal (Ética a Nicômaco I.5, 1095b14-1096a10). A vida de honra política, por exemplo, reduz a felicidade ao grau de estima que os outros têm por nós, desligando assim a felicidade da operação da nossa própria função apropriada. Uma perspectiva mais popular equacionava a felicidade com o prazer, uma perspectiva que Aristóteles excluiu rapidamente por não distinguir a categoria natural dos seres humanos de outros animais que também sentem prazer e que nele se baseiam como força motivadora na sua luta diária pela sobrevivência. Para Aristóteles, como antes para Platão, a perspectiva hedonista negligencia a função essencial da racionalidade humana: regular e controlar os apetites e desejos humanos, canalizando-os para atividades que, a longo prazo, melhor assegurem o florescimento humano. Na verdade, é precisamente esta regulação e controle que distinguem a sociedade humana de todas as outras formas de vida, de modo que há uma conexão íntima entre a excelência humana e a vida política. Esta conexão está sujeita a uma certa tensão, contudo, dado que tanto Platão, na República, como Aristóteles, na sua vida de contemplação teórica, tornam a ordem social uma condição necessária da excelência humana ao mesmo tempo que argumentam que a felicidade pessoal envolve num certo sentido que nos desliguemos da comunidade em geral.

Os estóicos concordavam que a felicidade é o nosso fim último, pelo qual fazemos tudo o resto, e definiam-na como uma vida consistentemente vivida de acordo com a natureza. Não queriam dizer apenas com isto a natureza humana, mas a natureza do universo inteiro, do qual somos parte, e a ordem racional que ambos exibem. A razão prática exige assim uma compreensão do mundo e do nosso lugar nele, juntamente com a nossa aceitação resoluta desse papel. Seguir a natureza desta maneira é uma vida de virtude e tem como resultado um "bom fluir da vida", com paz e tranquilidade.

Os epicuristas também tomavam a eudemonia como o fim para os seres humanos, mas definiam-na em termos de prazer. Contudo, muitas das coisas que nos dão prazer têm consequências desagradáveis, que no cômputo geral perturbam a nossa vida, não nos fornecendo portanto a libertação das preocupações (ataraxia) nem a ausência de dor física (aponia) que caracterizam a verdadeira felicidade. Estes traços, pensavam, têm de ser assegurados pelo exercício da moderação, prudência e outras virtudes, que contudo não são valorizadas por si, mas apenas como meios instrumentais para uma vida de prazer e felicidade.

Esta forma de eudemonismo hedonista contrasta com o hedonismo dos cirenaicos, a principal exceção à afirmação de Aristóteles de que todos concordam que o mais elevado bem é a eudemonia. Versões incompletas do Aristipo tardio sugerem que o seu hedonismo envolvia dar livre vazão aos desejos sensuais (Xenofonte, Memorabilia 11.1.1-34), de modo a ser sempre capaz de desfrutar do momento, deitando mão ao que estava à mão (Diógenes Laércio 11.66). Mais tarde, os cirenaicos aperfeiçoaram esta posição de modo a procurar desfrutar por completo do prazer sensual sem sacrificar a autonomia nem a racionalidade. A sua concepção de prazer salientava os prazeres corporais, entendidos como um tipo de movimento (kinesis) ou o estado sobreveniente da alma (pathos). Por encararem tais estados transitórios como o mais elevado bem, os cirenaicos recusavam a perspectiva de que a eudemonia, um tipo de realização alargado e de longa duração, fosse o fim que devesse reger todas as nossas escolhas.

Texto de Scott Carson
Tradução de Desidério Murcho
Publicado em Encyclopedia of Philosophy, 2.ª ed., org. Donald M. Borchert (Macmillan Library Reference, 2005)

Publicado originalmente em: http://criticanarede.com/ 
 
Filoparanavai 2015

quinta-feira, 14 de maio de 2015

MEC anuncia provas do Enem 2015 para 24 e 25 de outubro


Inscrições, com taxa de R$ 63, devem ser feitas no site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), entre 10h do dia 25 deste mês e 23h59 de 5 de junho

 

As provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2015 serão realizadas nos dias 24 e 25 de outubro. As inscrições serão feitas pela internet, no site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), entre as 10h do dia 25 deste mês e 23h59 do dia 5 de junho, horários de Brasília. 

A informação foi divulgada hoje (14) pelo Ministério da Educação (MEC). No ano passado, cerca de 6,2 milhões de estudantes fizeram o Enem. A nota do exame pode ser usada para participar de programas como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que disponibiliza vagas no ensino superior público; o Programa Universidade para Todos (ProUni), que oferece bolsas em instituições privadas; e o Sistema de Seleção Unificada do Ensino Técnico e Profissional (Sisutec), que garante vagas gratuitas em cursos técnicos.

O Enem também é pré-requisito para firmar contratos pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), obter bolsas de intercâmbio pelo Programa Ciência sem Fronteiras e certificação do ensino médio.

O edital do Enem será publicado segunda-feira (18) no Diário Oficial da União.

Este ano, houve um aumento no valor da inscrição, que passou para R$ 63. O valor cobrado até o ano passado era R$ 35. Alunos concluintes do ensino médio em 2015 matriculados na rede pública e pessoas que declararem carência nos termos do edital ficarão isentas da taxa.

Todos os candidatos deverão ter um email pessoal. Este ano, o sistema não aceitará que mais de uma inscrição seja feita em um mesmo email.

No dia do exame, os candidatos devem estar atentos aos horários. Os portões abrem às 12h e fecham às 13h. A prova começa às 13h30, no horário de Brasília. Os candidatos sabatistas, que, por motivos religiosos, não podem ter atividades aos sábados, no período diurno, farão a prova do dia 24 às 19h, também no horário de Brasília.

Para os sabatistas do Acre, Amazonas, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Rondônia e Roraima, o início será às 19h, no horário local. Todos os sabatistas têm de chegar nos locais de prova entre 12h e 13h, no horário de Brasília.

No primeiro dia de prova, serão avaliados os conhecimentos em ciências humanas e ciências da natureza. No segundo, os candidatos responderão a questões sobre linguagens, códigos e suas tecnologias, redação e matemática.

Neste ano, serão mantidos os critérios de correção da redação. As provas com inserções inadequadas serão zeradas.

O MEC espera que mais de 9 milhões de estudantes se inscrevam no exame deste ano.

ACESSE O SITE DO INEP:
http://portal.inep.gov.br/ 

FONTE: http://www.redebrasilatual.com.br/

quarta-feira, 6 de maio de 2015

MASSACRE NO PARANÁ: FLORES PARA QUEM JOGOU BOMBAS E ATIROU CONTRA PROFESSORES


NA "PRAÇA 29 DE ABRIL", FLORES PARA QUEM JOGOU BOMBAS E ATIROU CONTRA PROFESSORES E SERVIDORES PÚBLICOS NO DIA 29/04/15...
Posted by Lucio Lopes on Quarta, 6 de maio de 2015

Marcha dos 25 mil em defesa da DEMOCRACIA!!![05 de maio 2015]GRANDE MANIFESTAÇÃO EM REPÚDIO AOS ATOS DE VIOLÊNCIA...
Posted by Lucio Lopes on Quarta, 6 de maio de 2015

domingo, 3 de maio de 2015

Diap alerta sobre os perigos da terceirização

O diretor do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), Antônio Agusto de Queiroz, teme impacto econômico da terceirização e mostra quais os impactos da lei em tramitação no Congresso.

sábado, 2 de maio de 2015

“Nunca esqueça quem é Beto Richa”: Vídeo mostra detalhes do massacre dos professores em Curitiba. "A câmera está dentro do olho do furacão e tira qualquer dúvida que pudesse existir quanto a violência descabida proporcionada pela PM."


No meio das bombas e balas de borracha, cinegrafista registrou em detalhes o desespero e a indignação de professores e servidores públicos de Curitiba atacados pela Polícia Militar na última quarta-feira (29).

ASSISTA AO VÍDEO, MAS CUIDADO POIS CONTÉM CENAS FORTES DE SANGUE E VIOLÊNCIA!



“Nunca esqueça quem é Beto Richa”: Vídeo mostra detalhes do massacre dos professores em Curitiba

O Vídeo é um documento do horror vivido por professores brasileiros que receberam pancadas, tiros, bombas e mordidas de cães como resposta a suas reivindicações trabalhistas.

A Câmera está junto aos professores e funcionários públicos no lamentável dia em que ao protestarem, acabaram apanhando brutalmente da polícia e receberam do Governo do Estado este tratamento brutal e humilhante. Nunca esqueça!

A produtora independente Cine Monstro registrou em detalhes o massacre promovido pela Polícia Militar contra os professores e servidores públicos que protestavam em Curitiba no último dia 29. Em um vídeo de 9 minutos, é possível constatar, sem maiores dificuldades, a arbitrariedade a PM paranaense, que jogava bombas em grupos de idosos, vendedores ambulantes, professores pedindo paz ou qualquer pessoa que estivesse naquele momento na região do Centro Cívico. Em diversos momentos as imagens registraram os manifestantes implorando para que a polícia parasse ou ainda expressando toda a sua indignação diante da violência completamente desmedida. As imagens são fortes. Confira o vídeo 

 
NUNCA ESQUEÇA! from CINEMONSTRO on Vimeo.

[Fonte: http://www.revistaforum.com.br/]
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...