quinta-feira, 30 de abril de 2015

DEMOCRACIA SOFRE NO PARANÁ MAIOR ATENTADO EM TODA A HISTÓRIA DO ESTADO: POLÍCIA MILITAR ATACA COM BOMBAS, BALAS DE BORRACHA, CÃES, CAVALOS... PROFESSORES E FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS QUE LUTAVAM CONTRA A RETIRADA DE DIREITOS CONQUISTADOS


GREVE NA EDUCAÇÃO BÁSICA DO PARANÁ ( ͡° ͜ʖ ͡°)BOM DIA!!!EM TEXTO ABAIXO EXPRESSO MINHA TRISTEZA PELO DIA 29Quero...
Posted by Lucio Lopes on Segunda, 27 de abril de 2015
OUTRO LINK PARA VISUALIZAR:
https://www.facebook.com/lucio.lopes.5/videos/



BOM DIA!!!
EM TEXTO ABAIXO EXPRESSO MINHA TRISTEZA PELO DIA 29

ACORDEI HOJE COM MINHA ALMA EM PEDAÇOS, ESTOU PROFUNDAMENTE TRISTE COM AS CENAS DE HORROR NO DIA DE ONTEM. COMO EDUCADOR ENSINO FILOSOFIA POLÍTICA, ÉTICA, PARA MEUS ALUNOS, COM O ENTUSIASMO DE QUEM ENCONTRA-SE EM UM REGIME DEMOCRÁTICO QUE BUSCA DIA A DIA FIRMAR-SE AINDA QUE A DEMOCRACIA SEJA POR DEMAIS FRÁGIL MOMENTANEAMENTE.

SOMOS HOJE UMA DEMOCRACIA NO BRASIL QUE AVANÇA COM UM GOVERNO POPULAR QUE BUSCA A GARANTIA DE DIREITOS SOCIAIS E HUMANOS. AINDA QUE VOZES DE MINORIAS SE LEVANTEM CONTRA A DEMOCRACIA POR QUESTÕES IDEOLÓGICAS, NOSSA DEMOCRACIA SE ENCONTRA EM PROCESSO ACELERADO DE IMPLEMENTAÇÃO AO PONTO DE CONVIVER EM APAZIGUAMENTO COM ESSAS VOZES DISSONANTES.

Mas o que vimos ontem em Curitiba foi um ataque irreparável contra o Estado Democrático. Uma legião de policiais militares armados até os dentes com escudos, capacetes, cachorros, cavalos, cassetetes, gases spray, armas letais, armas não letais; avançaram sobre professores e demais funcionários públicos manifestantes, em praça pública, completamente desarmados, com uma fúria mortal completamente insana. O resultado não poderia ser outro que não o de muitos feridos.

Lamentável é ver as explicações do Executivo e do Legislativo fazendo meia culpa para o episódio como se fossem manifestantes Black Bloc que tivessem iniciado o conflito. Lamentável é ver uma mídia branca horrorosa e deformante da opinião pública em defesa do governo e contrariamente aos manifestantes como se esses últimos não passassem de baderneiros.

Os professores e outros servidores estavam lá para se manifestar contra a aprovação de Projeto que mexe no dinheiro do funcionalismo e não do Estado. Dinheiro que o estado quer utilizar para cobrir os rombos nos cofres públicos que sua própria incompetência gerencial produziu.Dinheiro que será retirado hoje do fundo previdenciário deixando uma enorme vazio nos cofres da previdência que será preenchido no futuro no "lombo" de todos os paranaenses que terão de pagar impostos ainda mais caros do que já paga hoje. Portanto, uma manifestação legítima em defesa do futuro das aposentadorias do funcionalismo e em defesa do povo paranaense.

Lastimável é esse bando de deputados/as subservientes 100% ao executivo. Uma maioria de legisladores que voltam as costas para o povo e votam não como representantes desse povo que os elegeram, mas votam de acordo com seus interesses mesquinhos, mercenários. Como conseguem dormir com a consciência em paz? Culpa de quem? Culpa de uma legião de eleitores alienados, amordaçados pela ideologia dominante, que insiste em votar em candidatos patrões ou indicados pelos patrões. Quem paga o preço dessa burrice política? Todos nós.

Há hoje um sentimento de impotência misturado à muita tristeza. Mas a democracia não pode ser deixada de lado, precisa ser revitalizada. Não podemos abrir mão desse bem político tão precioso. É preciso fazer memória, é preciso fazer história, é preciso lutarmos por dias melhores!!!

quarta-feira, 29 de abril de 2015

GREVE PARANÁ: ACOMPANHE AO VIVO

ESSA TARDE VAI "FERVER" EM CURITIBA
A BATALHA DA ASSEMBLEIA - 29/04
ASSISTA AO VIVO

terça-feira, 28 de abril de 2015

A GREVE GERAL E A NEOLIBERALIZAÇÃO DO ESTADO DO PR

MINHA OPINIÃO










GREVE ABRIL 2015
GREVE NA EDUCAÇÃO BÁSICA DO PARANÁUMAS PALAVRINHAS SOBRE... ( ͡° ͜ʖ ͡°)SOBRE O DIA DE HOJE EM CURITIBA,COMPARTILHO ABAIXO O TEXTO DO PROFESSOR LUIZ PAIXÃO: Boa noite!Amanhã, todos e todas na Assembleia Legislativa!Hoje tivemos uma primeira batalha na Assembleia Legislativa do Paraná contra o Projeto de Lei que altera a nossa previdência.O que vimos hoje no Centro Cívico foi vergonhoso. O governo Richa deu uma demonstração de autoritarismo e total descaso com os educadores e servidores públicos do Paraná.Preocupados com o nosso futuro fomos até a dita “ Casa do Povo” para mostrar aos deputados o nosso descontentamento com o projeto do governo. Muito daqueles que rondam nossas casas nas épocas de eleições, viraram hoje suas costas. Fomos recebidos por uma verdadeira operação de guerra. Nunca vimos tantos policiais juntos. E todos sob ameaçados foram orientados a não nos deixar entrar na Assembleia Legislativa.Neste clima, às escondidas, os deputados do governo conseguiram aprovar em PRIMEIRA votação o catastrófico projeto do governo. Foram 31 votos favoráveis e 21 contrários. Terminada a sessão, o presidente da Assembleia Legislativa iniciou uma sessão extraordinária para acelerar o processo de votação do Projeto da previdência.Nesta sessão, que terminou depois das 19 horas, foram apresentadas 16 Emendas ao Projeto. As Emendas foram encaminhadas para a análise da CCJ – Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia, que se reúne amanhã, antes da sessão da tarde.O Projeto e as emendas voltam para a apreciação dos deputados na sessão de amanhã à tarde. Possivelmente, amanhã os deputados votem o Projeto e as Emendas; e concluam o processo de votação.Ou seja, amanhã será o Dia D para nós servidores públicos. Todos devemos estar na Assembleia Legislativa do Paraná. Teremos uma grande batalha.Nossa união será nossa maior força!SOBRE A DECISÃO JUDICIAL CONTRA A GREVE - Até o momento a APP-Sindicato não foi notificada. Assim, que for recorrerá da decisão.A greve continua. Amanhã precisamos estar mais fortes ainda, com mais educadores do que tínhamos hoje.VEJA A PUBLICAÇÃO ORIGINAL EM:https://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=938563289520222&id=334863279890229&pnref=story
Posted by Lucio Lopes on Segunda, 27 de abril de 2015
CASO NECESSÁRIO VOCÊ TAMBÉM PODE ACESSAR O VÍDEO PELO SEGUINTE LINK: 
https://www.facebook.com/lucio.lopes.5/videos/

GREVE NO PARANÁ: ACOMPANHE AO VIVO

ATUALIZAÇÃO 28/04/15 - TERÇA-FEIRA - 19H00' 

DEPOIS DESSE VÍDEO EU NÃO PRECISARIA GRAVAR MAIS NADAVER AQUELA MULTIDÃO ARRASTANDO AS VIATURAS POLICIAIS FOI PARA FICAR PARA A HISTÓRIA.
Posted by Roque Ribeiro on Terça, 28 de abril de 2015

DUAS NOTÍCIAS DO BLOG DO ESMAEL QUE NOS PERMITEM UMA PANORÂMICA SOBRE O DIA TENSO DE HOJE... Comissão de senadores vem ao Paraná acompanhar votação de confisco da previdência dos servidores. A comitiva vai funcionar como as missões da ONU em regiões de guerra, ou no caso de eleições suspeitas. Devido a gravidade da situação no Paraná, o Senado autorizou inclusive o uso de avião da Força Aérea Brasileira (FAB) para a comitiva. O fato é que a batalha da Assembleia está deixando o Brasil inteiro preocupado. Desde a ditadura militar (1964-1985) não se via tamanha truculência de um governante, como a de Beto Richa (PSDB), para aprovar medidas impopulares. [VER MAIS EM: http://www.esmaelmorais.com.br/

Violência e tensão no segundo dia do cerco à Assembleia do PR. Mesmo com uma liminar conquistada pela APP-Sindicato garantindo o acesso do público às galerias, e com um Habeas Corpus coletivo obtido pela União Paranaense dos Estudantes Secundaristas (UPES), que determina a retirada do cerco da polícia, a Assembleia continua cercada e a sessão de hoje também ocorre com as galerias vazias. Mas o projeto gerador da polêmica, que prevê o confisco da previdência dos servidores, não vai a plenário hoje. Na reunião da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) no começo desta tarde, o deputado Péricles de Melo (PT) pediu vistas e deverá devolver o texto na próxima reunião comissão: amanhã de manhã. Se nada mais atrasar a tramitação, o projeto da discórdia poderá ir para votação nesta quarta-feira (29) à tarde. [VER MAIS EM: http://www.esmaelmorais.com.br/]

Governador Beto Richa (PSDB) recebe professores com bombas de gás lacrimogêneo
Posted by Enio Verri on Terça, 28 de abril de 2015
ESSA TARDE VAI "FERVER" EM CURITIBA
ASSISTA AO VIVO

NESSA TARDE ESPERAMOS QUE O GOVERNO RICHA RETIRE AS GRADES E QUE A JUSTIÇA ABRA CAMINHOS PARA O INTERIOR DA ASSEMBLEIA. 

O STJ E O TJ LIBERARAM O INGRESSO DE MANIFESTANTES NA CASA DO POVO. 400 PESSOAS PODERÃO OCUPAR AS GALERIAS DURANTES AS MANIFESTAÇÕES. TOMA RICHA! TOMA TRAJANO!

ATUALIZAÇÃO 28/04/15 - TERÇA-FEIRA
NADA DE DESÂNIMO, A GREVE CONTINUA...

SOBRE A VOTAÇÃO NA ALEP, APENAS AMANHÃ.

HOJE A TARDE NÃO HAVERÁ VOTAÇÃO DO PROJETO DE CONFISCO DA PREVIDÊNCIA. O DIA "D" SERÁ AMANHÃ. TODOS PARA O CENTRO CÍVICO EM CURITIBA PARA ACOMPANHAR A SEGUNDA SESSÃO SOBRE O PROJETO. UNS VOLTAM OUTROS VÃO. DEVE SAIR DE VÁRIAS REGIÕES DO ESTADO CARAVANAS PARA QUARTA ACOMPANHAREM A VOTAÇÃO EM FRENTE À ALEP E DENTRO DA ALEP UMA VEZ QUE A JUSTIÇA GARANTIU O "DIREITO DO POVO" - CONSTITUCIONAL - DE IR E VIR...

O DIA "D" SERÁ AMANHÃ. TODOS PARA O CENTRO CÍVICO EM CURITIBA PARA ACOMPANHAR A SEGUNDA SESSÃO SOBRE O PROJETO.

O PROJETO PASSOU HOJE PELA CCJ - COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA. O DEPUTADO PÉRICLES DE MELO DO PT PEDIU VISTAS E TEM 24 HORAS PARA DEVOLVER.

PORTANTO, A VOTAÇÃO ACONTECE AMANHÃ QUANDO SERÃO APRECIADAS AS EMENDAS. PORTANTO, QUARTA É O DIA "D".


ESTUDANTES PARANAENSES DERRUBAM JUDICIALMENTE CERCO AUTORITÁRIO DO GOVERNO À ALEP

PARABÉNS ESTUDANTES ツ ッ シ
Estudantes paranaenses é com muito animo que trazemos a noticia que o pedido de Habeas Corpus impetrado pelas UPES contra o governador Beto Richa foi deferido e agora o governo será obrigado a retirar o cerco entorno da Assembleia Legislativa do Paraná.

Bom dia estudantes paranaenses é com muito animo que trazemos a noticia que o pedido de Habeas Corpus impetrado pelas...
Posted by União Paranaense dos Estudantes Secundaristas on Terça, 28 de abril de 2015

OUTRO CAMINHO PARA O VÍDEO:
https://www.facebook.com/UpesParana/

segunda-feira, 27 de abril de 2015

GREVE NO PARANÁ: ENTENDA PORQUE O FUNCIONALISMO DO PARANÁ ESTÁ PARADO ESSA SEMANA...

GREVE NA EDUCAÇÃO BÁSICA DO PARANÁ
UMAS PALAVRINHAS SOBRE... ( ͡° ͜ʖ ͡°)

"A BANCADA DO CAMBURÃO" VIRA AS COSTAS PARA O POVO PARANAENSE MAIS UMA VEZ... Foi aprovado, no início da noite passada, em primeira discussão, o projeto que muda o custeio do ParanaPrevidência.
[VEJA MAIS EM: https://www.facebook.com/photo]

Bom dia!!!
FORÇA E SOLIDARIEDADE A CADA GUERREIRO, A CADA GUERREIRA, EM CURITIBA, NESSES DIAS!!!

POR ONDE ANDA A "JUSTA JUSTIÇA"?

Ontem foi um dia deprimente. Ver o cerco à "casa do povo" que de povo tem muito pouco deu uma sensação de que Executivo, Legislativo e Judiciário, no Paraná, uniram-se justamente contra o povo.

Isso porque o Legislativo ao invés de investigar o Executivo para saber onde foi parar o dinheiro de todos os paranaenses nesses últimos 5 anos simplesmente se alia ao Executivo para ceder-lhe a possibilidade de confiscar dinheiro da PRPREVIDÊNCIA justamente para cobrir o rombo deixado nos cofres públicos por um governo incompetente e irresponsável que gastou mais do que arrecadou, que estourou os limites fiscais e está impedido de emprestar seja da União ou de que qualquer outra fonte. E que portanto aumenta abusivamente taxas de IPVA, Conta de Luz e Água, Pedágio, ICMS para Gasolina e Álcool e para mais de 8 mil produtos de consumo básico.

A Justiça por sua vez atende aos caprichos do Executivo e judicializa a greve dos professores e judicializa a entrada do povo na ALEP para assistir as sessões. Utilizando-se de policiais retirados de seus postos de trabalho em todo o Estado para impedir que o povo possa se manifestar contra esse des-governo do PSDB no Paraná.

Ora, para o Executivo a Justiça funciona muito rápida, como um relâmpago. Tadeu VENERI entrou na Justiça para garantir a entrada do povo na ALEP, a Justiça, nesse caso, é mais lenta que tartaruga. Igualmente a UBES entrou no STF e a tartaruga também parece por lá andar quando se trata de atender ao povo.

Isso tudo dá uma sensação de impotência. Mas a luta continua. Mesmo com derrotas... Pois na política temos batalhas e o que se perde são batalhas de momentos, esperamos que a vitória seja de todos nós, que somos o Povo.

O QUE VOCÊ PODE FAZER? MUITO...
MANDE E-MAILS PARA OS DEPUTADOS/AS,
USE O LINK ABAIXO PARA ACESSAR A PÁGINA DA ALEP, LÁ VOCÊ ENCONTRARÁ OS ENDEREÇOS DE CADA UM DELES...

EXERÇA SUA CIDADANIA...
DE SUA CASA MESMO, BASTA USAR SEU E-MAIL PARA PRESSIONAR OS DEPUTADOS/AS EM CURITIBA. VAMOS LOTAR AS CAIXAS POSTAIS DELES DE MENSAGENS, DEMONSTRANDO TODA NOSSA INDIGNAÇÃO... VAMOS PEDIR PARA QUE PAREM DE MEXER COM OS DIREITOS TRABALHISTAS E SEJAM DIGNOS DO TÍTULO DE "LEGISLADORES DO POVO" QUE CARREGAM... LEMBREM A ELES DE QUE AS ELEIÇÕES MUNICIPAIS ESTÃO CHEGANDO, E QUE VAMOS DAR O TROCO...

ENVIE E-MAILS PARA OS DEPUTADOS OU TELEFONE. NESSE LINK VOCÊ ENCONTRA OS E-MAILS E NÚMEROS DE TELEFONES:
http://www.alep.pr.gov.br/os_deputados/

ENTRE EM CONTATO COM OS DEPUTADOS/AS POR MEIO DE E-MAIL OU TELEFONE, EXIJA COMO CIDADÃO E ELEITOR QUE ELES SE POSICIONEM DO LADO DOS TRABALHADORES E CONTRA O GOVERNO NESSE MOMENTO. QUE VOTEM CONTRA O PROJETO DO GOVERNO QUE PRETENDE CONFISCAR DINHEIRO DA PARANÁ PREVIDÊNCIA. EXIJA QUE ELES VOTEM À FAVOR DO POVO, À FAVOR DA EDUCAÇÃO, DA SAÚDE E SEGURANÇA.


"Homens de Deus" se unem aos "Homens da Bala" contra direitos LGBTs

BANCADA EVANGÉLICA SE UNE À BANCADA DA BALA CONTRA DIREITOS HUMANOS. EVANGÉLICA? SERÁ MESMO? ESTÁ MAIS PARA BANCADAS DO "CAPETA" E DO "DIABO"     ( ͡ʘ ͜ʖ ͡ʘ)

Nome social, conquista do movimento LGBT, pode ser usado por travestis em escolas e concursos públicos. Deputados da bancada evangélica e da bala são contra.

sábado, 25 de abril de 2015

GREVE NA EDUCAÇÃO DO PARANÁ É RETOMADA!


A GREVE CONTINUA...POR TEMPO INDETERMINADO...A GREVE GERAL DA EDUCAÇÃO SERÁ RETOMADA SEGUNDA, 27ASSEMBLEIA REALIZADA...
Posted by Lucio Lopes on Sábado, 25 de abril de 2015

A GREVE CONTINUA...POR TEMPO INDETERMINADO...A GREVE GERAL DA EDUCAÇÃO SERÁ RETOMADA SEGUNDA, 27ASSEMBLEIA REALIZADA...
Posted by Lucio Lopes on Sábado, 25 de abril de 2015
OUTRA OPÇÃO DE VISUALIZAÇÃO: https://www.facebook.com/ 
OUTRA OPÇÃO DE VISUALIZAÇÃO:  
/lucio.lopes.5/videos/

terça-feira, 21 de abril de 2015

TUDO... CULPA DA DILMA E DO LULA !!!


TUDO CULPA DO LULA E DA DILMA!!!PAC 1; PAC2 E VEM AÍ O PAC3Em um passado não muito distante, ou seja, antes de 2003,...
Posted by Lucio Lopes on Terça, 21 de abril de 2015


PODE ACESSAR TAMBÉM PELO SEGUINTE LINK: 
https://www.facebook.com/

domingo, 19 de abril de 2015

19 de abril: "CONSCIÊNCIA INDÍGENA"


TODAS AS ESCOLAS DO PAÍS, PÚBLICAS OU PRIVADAS, ESTÃO OBRIGADAS POR FORÇA DE LEI A ENSINAR CULTURA E HISTÓRIA DOS POVOS...
Posted by Lucio Lopes on Domingo, 15 de abril de 2012
PODE ACESSAR A IMAGEM PELO SEGUINTE LINK:
https://www.facebook.com/photo 

PROFESSORES DO PARANÁ PODEM ENTRAR EM GREVE NOVAMENTE!


Paralisações à vista na educação pública do Paraná...PROFESSORES ESTÃO EM "TRINCHEIRAS" PRONTOS PARA CRUZAR OS BRAÇOS E...
Posted by Lucio Lopes on Domingo, 19 de abril de 2015

Também pode acessar a imagem por esse link: 

quinta-feira, 16 de abril de 2015

BAIXE a C.F.B. 1988 e a D.U.D.H. 1948

Contador de visitas 




                        



DICAS DE LINKS
PARA DESENVOLVIMENTO DE PESQUISA
CONTEÚDOS ORIENTADOS PARA AS SEGUNDAS  E TERCEIRAS SÉRIES


BAIXE ESSES ARQUIVOS EM SEU COMPUTADOR:
[Quando tiver opções, escolha um dos formatos de sua preferência]


1. Constituição da República Federativa do Brasil - 1988  [FORMATO Áudio MP3]
1. Constituição da República Federativa do Brasil - 1988  [FORMATO PDF]



4. Declaração Universal dos Direitos Humanos - 1948 [FORMATO PDF]

5. Declaração Universal dos Direitos Humanos - 1948 [FORMATO HTML]



Filoparanavai 2015

quarta-feira, 15 de abril de 2015

REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL: um artigo bem fundamentado na objetividade epistemológica

A lógica dos "abestalhados" que defendem a redução da maioridade, fundamentados na ideia de que isso reduziria a criminalidade não passa de um ledo engano. A redução vai, ao contrário, aumentar a criminalidade. E a lógica é a seguinte: agora reduzimos para 16 anos, a criminalidade continua alta e o tráfico por exemplo passa a recrutar de 10 aos 15; então reduzimos para 10; o tráfico recruta crianças de 5 aos 9; então reduzimos para 5 anos e assim por diante... No excelente artigo de Kokai um texto de fácil compreensão e com argumentos serenos e fortes sobre o porque do não apoio à proposta de redução da maioridade penal...


PEC 171 – O ESTELIONATO DOS DIREITOS DAS CRIANÇAS E DOS ADOLESCENTES


O artigo 171 do Código Penal Brasileiro tipifica o crime de estelionato: obter, para si ou para outrem, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil, ou qualquer outro meio fraudulento. 

No Congresso Nacional tramita a Proposta de Emenda à Constituição 171/93, que reduz a responsabilidade legal no Brasil dos atuais 18 para 16 anos. Número e definição melhores para essa proposta não há. Ela é, em tudo, da origem à data da aprovação de sua admissibilidade – 31 de março, quando se completou 51 anos do Golpe Militar que instaurou no Brasil um dos períodos mais traumáticos de nossa história –, um estelionato aos direitos civis da população brasileira, com enorme prejuízo às nossas crianças e aos nossos adolescentes. O número da PEC, o teor e o dia em que foi aprovada a sua admissibilidade nos lembram o que ela representa de fascismo e de retirada de direitos da nossa sociedade. 

Em 1988, a Assembleia Nacional Constituinte definiu em quais situações a Constituição Federal não poderia ser emendada (Artigo 60), e que não seriam sequer objeto de deliberação pelo Parlamento as propostas de emenda que objetivassem abolir (§ 4º): I – a forma federativa de Estado; II – o voto direto, secreto, universal e periódico; III – a separação dos Poderes e, IV – os direitos e garantias individuais. E é disso o que trata a PEC 171: ela retira direitos e garantias estabelecidos na Constituição para a proteção à infância e à juventude. 

Quiseram os parlamentares constituintes garantir ao povo brasileiro direitos estabelecidos, que não seriam ameaçados por eventuais debates e divergências políticas, partidárias, sociais, religiosas, de opiniões ou de qualquer natureza. São compromissos que só podem ser alterados mediante a convocação de nova Assembleia Nacional Constituinte. 

Os defensores da PEC 171 rasgam, pois, a Carta Magna brasileira – documento máximo que deveria reger os trabalhos no Congresso Nacional – e tentam empurrar goela abaixo da sociedade brasileira uma proposta inconstitucional, que dormitou por mais de duas décadas no Parlamento e foi despertada justamente quando temos uma das legislaturas mais conservadoras de toda a história política nacional. 

Seus defensores tentam induzir a população – e o próprio Congresso – ao erro, admitindo uma proposta que sequer poderia estar em discussão por tratar de cláusula pétrea constitucional. E criam um ardil, uma falácia, tentando fazer crer que a redução da maioridade penal resultará em menos violência em nossa sociedade. Não resultará! 

Ao reduzir a idade mínima de responsabilidade legal, o Brasil romperá, inclusive, tratados internacionais dos quais é signatário: é o caso da Convenção sobre os Direitos da Criança das Nações Unidas, de 1989, que considera integrantes da infância os indivíduos até os 18 anos. A maioridade penal aos 18 anos vigora em mais de 150 países, e alguns que rebaixaram essa idade mínima discutem o retorno à idade anterior, ao constatar que a medida não implicou em redução dos índices de criminalidade. 

Criou-se um mito de que a violência neste país é provocada pelos adolescentes, quando, na realidade, temos o contrário. A grande maioria das vítimas dos 50 mil assassinatos registrados no Brasil todos os anos são jovens, e jovens negros. Menos de 0,5% dos homicídios neste país são cometidos por adolescentes. Então, o problema da violência no Brasil não é trazido à sociedade pela participação de nossos jovens. Essa sociedade muita mais mata os adolescentes do que é morta por eles. E é preciso que a gente tenha absoluta clareza disso. 

O Brasil tem a terceira maior população carcerária do mundo, com mais de 700 mil pessoas aprisionadas, sem que esse elevado índice tenha resultado em mais segurança em nossas cidades. E a solução que o Parlamento apresenta para a sociedade é aumentar a população carcerária, ali lançando adolescentes que cometerem atos infracionais. 

Temos um sistema penitenciário falido, onde 70% das pessoas que por ali passam reincidem na vida criminal. Sem ignorar toda a gama de problemas de nosso Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo, que vão da superlotação à ausência de oficinas e atividades pedagógicas que contribuam efetivamente no processo de ressocialização, ainda assim o índice de reincidência é de 20% entre os que cumprem medidas socioeducativas: em algumas cidades chegam a cair para menos de 2% quando essas medidas são cumpridas em meio aberto. 

Portanto, querem lançar jovens a partir dos 16 anos em um universo prisional que tem reincidência 50% maior do que o sistema hoje existente para responsabilizar e reintegrar harmoniosamente adolescentes que cometem infrações. E uso responsabilizar porque quem defende a redução da maioridade penal insiste em dizer que os adolescentes que cometem crimes neste país ficam impunes. Outra falácia. O Estatuto da Criança e do Adolescente estabelece nada menos do que seis medidas socioeducativas, de acordo com a gravidade do ato cometido, para brasileiras e brasileiros em conflito com a lei a partir, não dos 16 ou dos 18, mas dos 12 anos de idade. São elas, advertência judicial, obrigação de reparar o dano, prestação de serviços à comunidade (por até seis meses), liberdade assistida (com acompanhamento mínimo de seis meses nos âmbitos familiar, escolar e comunitário), inserção em regime de semi-liberdade (com os jovens saindo das unidades para estudar e trabalhar, mas retornando à noite e passando os fins de semana com a família) e, por fim, internação (com privação de liberdade e segregação do convívio social e familiar por até três anos). 

Em vez de tentar enganar a sociedade, com uma proposta que só poderia ser discutida em nova Assembleia Constituinte e que não contribuirá na construção de uma sociedade de paz, nosso Legislativo deveria se concentrar em impedir que a infância e a juventude deste país fossem roubadas, aliciadas para a violência. Deveria buscar soluções para fazermos valer a integralidade dos direitos previstos na nossa própria Constituição. O que os legisladores fazem é lançar uma cortina de fumaça para encobrir e disfarçar sua incompetência e negligência, em vez de estabelecer planos para a efetiva adoção de políticas públicas em defesa dos direitos das crianças e dos adolescentes, além das devidas prestação de contas e punição dos responsáveis, caso essas políticas não sejam executadas com total prioridade. 

Neste sentido, no mesmo dia em que a Câmara Federal admitiu a tramitação da PEC 171, apresentei projeto estabelecendo a obrigatoriedade de as gestoras e os gestores – federais, estaduais, municipais e do DF – apresentarem anexos às Leis de Diretrizes Orçamentárias anuais com seus planos para a infância e juventude. Nossa proposta inclui as regras para prestação de contas semestrais aos respectivos legislativos e estabelece, em caso de descumprimento, as mesmas sanções hoje previstas na Lei de Responsabilidade Fiscal, que vão de multas e ressarcimento aos cofres públicos, à inelegibilidade por até oito anos e prisão, em caso de condenação. 

É o que defendemos, além da efetiva adoção das medidas socioeducativas já estabelecidas pelo ECA aos jovens em conflito com a lei. Pois entendemos que, por trás de toda infração cometida por um adolescente, há a mão invisível de um Estado incompetente e negligente com os direitos da infância e da juventude. Trabalharemos intensamente para que a tramitação dessa proposta avance no Parlamento, ao mesmo tempo em que nos unimos a mais de uma centena de entidades da sociedade civil que se posicionaram frontalmente contrários à redução da maioridade penal, por todos os motivos aqui já expostos. 

A batalha contra a redução da maioridade penal se dará agora na Comissão Especial, formada na Câmara para debater a proposta, durante 40 sessões, antes que a PEC seja levada à Plenário. É tempo, pois, de intensa mobilização. Sem trabalhar nesta perspectiva, o Congresso brasileiro promoverá imenso retrocesso aos direitos civis e humanos, em rota de colisão ao resto do mundo. 


Texto de Erika Kokay é psicóloga, deputada federal pelo PT-DF, integrante da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados e suplente na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania, tendo se posicionado contrária à admissibilidade da PEC 171/93 

Fonte: http://www.brasil247.com/

domingo, 12 de abril de 2015

BOMBA!!! EXCLUSIVO!! Diante das manifestações do dia 12 de abril a Presidenta Dilma Rousseff anuncia que vai deixar a presidência...



SÓ QUE NÃO [sQn]...



Se for para a DILMA SAIR...:

Fora Dilma, mas deixe o desemprego caindo.

Fora Dilma, mas deixe a inflação sob controle.


Fora Dilma, mas deixe o salário com poder aquisitivo alto.


Fora Dilma, mas mantenha o Brasil Sorridente.


Fora Dilma, mas deixe as política públicas de saúde da mulher.


Fora Dilma, mas deixe as políticas públicas de saúde do homem.


Fora Dilma, mas que o pré-sal e petrobrás continuem sendo dos brasileiros.


Fora Dilma, mas deixe os trabalhadores continuar viajando de avião.


Fora Dilma, mas deixe o luz para todos.


Fora Dilma, mas deixe o Bolsa Família salvando milhões de crianças.


Fora Dilma, mas deixe o combate a corrupção continuar.


Fora Dilma, mas deixe o PIBID.


Fora Dilma, mas deixe as bolsas da CAPES


Fora Dilma, mas deixe o PIBIC.


Fora Dilma, mas deixe o Minha Casa Minha Vida.


Fora Dilma, mas deixa a Lei das Empregadas Domésticas.


Fora Dilma, mas deixe a Lei do Piso salarial dos professores.


Fora Dilma, mas deixe a 1/3 de hora atividade para os professores.


Fora Dilma, mas continue mandando o dinheiro do PAC para fazer asfalto, UBS, CRECHES, SANEAMENTO BÁSICO, MINHA CASA MINHA VIDA, IFPR, e tantas outras obras, em Paranavaí.


Fora Dilma, mas deixe aumentando o número de Universidades Federais


Fora Dilma, mas continue construindo creches nas cidades.


Fora Dilma, mas deixe o ciência sem fronteiras para os jovens poderem ir estudar na Europa (até os coxinhas)


Fora Dilma, mas não deixe que transformem os pedágios da BR 101(R$ 1,80) em pedágios da BR 277 (R9,70)


Fora Dilma, mas mantenha a valorização do salário mínimo.


Fora Dilma, mas deixe as crianças na escola com um dinheirinho para comida, roupa e material escolar.


Pensando bem ‪#‎FicaDilma‬, e avance mais...

Inspirado no texto de João Samuel Batista



Filoparanavai 2015

12 DE ABRIL: E os tolos saem às ruas de novo...

MINHA OPINIÃO
Manifestar-se é um direito... poderiam manifestar-se contra o presidente da Câmara que é acusado com indícios fortes de corrupção; pedir o "impitiman" dos deputados que votaram pela terceirização fazendo os trabalhadores sofrerem o maior golpe desde o fim da ditadura; pedir o FIM da Rede Bobo de Televisão; assinar o abaixo assinado da Reforma Política; pedir para que a Dilma continue usando de todo rigor no combate à corrupção e que coloque todos os corruptos na cadeia; pedir mais PROUNI, Bolsa Família, Minha Casa Minha Vida, etc.. Mas não, a caprichosa classe média assalariada vai pedir o que sabe que não vai ganhar e fazer muitos selfs com a camiseta da seleção brasileira, CBF corrupta... Até para protestar essa classe média demonstra ser burra, mas isso é um direito, não poderíamos também esperar que essa classe média assalariada se preocupasse com a maioria da base da pirâmide social vez que só olha para seu próprio umbigo de maneira acrítica...

12 DE ABRIL: 
A GLOBO chama e os tolos saem às ruas de novo...

Em entrevista ao Blog da Cidadania, o jurista Dalmo Dallari declarou que os pedidos de impeachment da presidenta Dilma Rousseff (PT) representam a “reação primária de derrotados, inconformados com a derrota”. “Alegar corrupção na Petrobras para justificar o impeachment é pura tolice, e o que se pode afirmar, sem sombra de dúvida, é que a conversa do impeachment não passou de fantasia política de inconformados, sem a mínima consistência jurídica”, adicionou. 
[LEIA MATÉRIA COMPLETA:

Se o "Impitiman" é tolice, nesse domingo 12, convocados pela Globo, Veja e outras mídias golpistas, aliadas aos muitos políticos acusados de corrupção; com apoio ainda do PSDB, DEM e PPS principais defensores do neoliberalismo no Brasil,   os tolos saem às ruas de novo para comprovar que tolos só são capazes de tolices e, enquanto isso, em Brasília, Dilma segue governando e muito bem para todos os brasileiros... 

A Petrobrás é supervalorizada de novo no mercado contra a vontade da elite neoliberal; a proposta de internet grátis para as populações das periferias começa a se tornar uma realidade; o minha casa minha vida entra em sua nova fase para acabar com o déficit de moradias até 2018; a corrupção é combatida com rigor no governo Dilma em três frentes: lava jato, zelotes e HSBC, pegando um monte de corruptos engravatados coisa que antes não se via nesse país e muitas outras coisas boas que esse governo do povo vem fazendo, como por exemplo, o fortalecimento da democracia para que todos tenham o direito de se manifestar publicamente como farão nesse domingo, com menos gente nas ruas com certeza...  Esse tipo de manifestação tende a se esvaziar por falta de sentido sério assim como esvaziaram-se as manifestações dos que pediam o "não vai ter copa"...

No mais, são apenas chorumelas de uma elite classe média assalariada que se acha burguesia e que fica arrotando ódio ideológico por acharem que o país é só dela, em conluio com a mídia branca dominada por meia dúzia de famílias que quer enfraquecer o governo para que não seja realizada a regulamentação da mídia que lhes tiraria privilégios e iria democratizar a comunicação no Brasil, além de lutarem contra as investigações contra si mesmas por corrupção de sonegação de impostos, como é o caso da pouco poderosa hoje, REDE "BOBO" DE TELEVISÃO... SALVE SALVE A DEMOCRACIA! E vamos tomar uma cerveja geladinha enquanto a "banda" passa kkkkk'...




|TV Vermelho detona argumento golpista|De norte a sul, o Brasil revela um potencial mais forte, pujante e cheio de energia para gastar. A frente popular e progressista, que venceu o atraso em 2002, caminhou ao lados do povo brasileiro a fez o país avançar como nunca antes na história. Na contramão e de forma descarada, os setores mais conservadores do país orquestram uma sifônica golpista que, em 2015, ganha a cor e o tom do que há de mais reacionário. Acompanhe reportagem da TV Vermelho e entenda o que está em jogo na luta política em curso.
Posted by Portal Vermelho on Sexta, 10 de abril de 2015

Filoparanavai 2015

sábado, 11 de abril de 2015

CRÍTICA À POLÍTICA: "Ratos"

Muito bom esse texto que encontrei no bom site "conversa afiada" do jornalista PHA. Reproduzo ele na íntegra abaixo...

Antes de Lula e Dilma, o Brasil era um país que não investia em infraestrutura. Deu no que deu: enormes complexos metropolitanos onde se amontoavam pessoas desempregadas, vivendo em casebres insalubres e submetidas ao fétido odor dos esgotos a céu aberto. A responsabilidade por isso é da política. Melhor dizendo, da ausência histórica de políticas que só passaram a enfrentar, de fato, esses males há uns poucos anos. 

E não adianta espernear porque os números provam e o mundo já reconheceu: foi só depois de Lula e de Dilma que as populações periféricas passaram a ser alvo de políticas públicas de recuperação da dignidade desses milhões de excluídos. Antes, esses homens e essas mulheres não só conviviam com os ratos, como do ponto de vista governamental, eram tratados como tal. 

Ratos… Esta semana, alguns oposicionistas aos governos do PT soltaram alguns deles antes do depoimento de um membro da direção petista na Câmara dos Deputados. Foi uma tentativa torpe e extremamente agressiva de associar a imagem suja dos bichinhos aos membros do partido. 

Então, mais do que repudiar a exposição dos animais ao risco de serem pisoteados (como foram), valho-me da mal sucedida analogia oposicionista para perguntar: quem são, afinal, os ratos da política brasileira? Os que garantem níveis de emprego nunca antes alcançados, ou os que aprovam um projeto como o da terceirização que rói conquistas que estão sendo consolidadas há 70 anos? Os que garantem casa própria para milhões de brasileiros que nunca a tiveram, ou os que quando governaram roeram o Banco Nacional de Habitação jogando-o em transações escabrosas e não construíram uma moradia sequer? 

Os que permitiram que o filho da faxineira chegasse à universidade, ou os que carcomeram o futuro dos jovens proibindo a abertura de novos cursos técnicos? Os que retiraram 30 milhões de pessoas da miséria, ou os que devoraram as nossas reservas quebrando o país três vezes? 

Não, senhores oposicionistas, os ratos da política não somos nós, são vocês! Vocês que impedem a reforma política porque sempre foram sustentados pelo poder econômico. Vocês que entregaram o patrimônio público a preço de banana para os seus amigos ricaços. Os roedores históricos do dinheiro e dos valores desse país são vocês, que sustentaram a ditadura, que torturaram e mataram pessoas, que trocaram de partidos mil vezes, que impediram que a corrupção fosse investigada, que mantiveram preconceitos raciais, de classe e de gênero. 

Vocês, que devastaram as nossas riquezas naturais, que poluíram as nossas águas e que aniquilaram nossas populações indígenas e quilombolas. Vocês, que sempre andaram por túneis subterrâneos da política, que se comportaram furtivamente como se não fossem responsáveis pela gigantesca diferença social deste país. Vocês, que politicamente, sempre agiram como ratos. 

É por isso que quando nos deparamos com cenas como a dos ratos soltos na Câmara, ou quando assistimos os senhores marchando sem constrangimento ao lado de quem pede a volta dos coturnos covardes, nós não nos surpreendemos. Porque sabemos com quem estamos lidando. Estamos lidando é com as suas longas caudas, Longas como a dos ratos. E o pavor, a gente também sabe, é porque Dilma armou a ratoeira. 

TEXTO DE: Elvino Bohn Gass,  Deputado Federal (PT-RS)  e Secretário Nacional Agrário do PT


Filoparanavai 2015

sábado, 4 de abril de 2015

O FILOPARANAVAI DESEJA A TODOS/AS UMA FELIZ PÁSCOA...



AOS MEUS AMIGOS E AMIGAS PARTICULARES DO DIA A DIA, ALUNOS E ALUNAS, COMPANHEIROS/AS DE TRABALHO, COLEGAS DE CURSO NO MESTRADO, AMIGOS E AMIGAS DO FACEBOOK, SEGUIDORES DO FACEBOOK E DO "GOOGLE FRIEND" E LEITORES/AS DO BLOG FILOPARANAVAI, UMA FELIZ E SANTA PÁSCOA DO SENHOR JESUS CRISTO!

MENOS CHOCOLATE E MAIS REFLEXÃO SOBRE O VALOR DA VIDA NA MENTE E BONS SENTIMENTOS NO CORAÇÃO, ALIADA À PRÁXIS DO COTIDIANO PARA A CONSTRUÇÃO DE UM MUNDO MELHOR E ONDE POSSAMOS VER AS VERDADEIRAS PRESENÇAS DO SENHOR RESSUSCITADO ENTRE NÓS... MENOS VIOLÊNCIA, MENOS DESIGUALDADE SOCIAL, MENOS EGOÍSMO,,, MAIS JUSTIÇA E EQUIDADE, MAIS PARTILHA DOS NOSSOS BENS MATERIAIS E MORAIS, MAIS POLÍTICA VOLTADA PARA O POVO TRABALHADOR E NECESSITADO DO ESTADO E MENOS PARA OS RICOS...


Filoparanavai 2015

Celebrar a vida neste domingo de Páscoa não será - pelo menos no conceito evangélico - um ato para muitos!!!


 
Questões "filosóficas" 
que urgem em meio à FESTA DA VIDA!
por Lucio LOPES_2015 


Para grande parte dos chamados CRISTÃOS de nossa atualidade o que menos importa são os sonhos coletivos do Cristo fundados na práxis do AMOR ao próximo (incluindo aí os inimigos): por AMOR CRISTÃO denota-se compartilhar, acolher, ajudar gratuitamente sem nada em troca receber, solidarizar-se, lutar contra as forças do mal, promover a paz, a igualdade e a equidade material e moral,...

NEM TODOS QUE ESTÃO CONOSCO COMPACTUAM VERDADEIRAMENTE DOS MESMOS IDEAIS COLETIVOS

Podem comer do mesmo pão, porém seus interesses egocêntricos (individualistas) falam mais alto e, são capazes dos meios mais abomináveis para satisfazerem seus apetites viscerais.



IGUAIS E DIFERENTES, IGUAIS NAS DIFERENÇAS, SER DIFERENTE FAZ TODA A DIFERENÇA...

Acostumados à imagem EUROCÊNTRICA do Jesus loiro, que nos foi imposta por séculos, hoje AQUI é substituída pela liberdade de uma imagem diferente... Deixar O VENTO SOPRAR ONDE QUISER (FRASE REVOLUCIONÁRIA DE JESUS CRISTO: JO 3,8) é deixar Deus ser DEUS. Ele não é propriedade de nenhuma religião e se manifesta onde quiser - nas religiões que não passam de criações humanas e fora delas. Ele não só se manifesta onde quer, Ele salva onde quer... 

Aqui entre nós se manifesta em Jesus Cristo; no Islã como Allāh; no Hinduísmo como Krishna; Xintoísmo como Kami; em muitas religiões tradicionais africanas, em especial na Yorubá, Olódùmarè;... Não importa...

DEUS é o BEM SUPREMO do qual devemos nos aproximar se queremos realmente ser HUMANOS em verdade. Quanto mais HUMANOS formos mais de Deus seremos... Isso vale nas religiões e fora das religiões.

Saber conviver com as diferenças é uma arte para poucos uma vez que fomos educados em uma cultura eurocêntrica excludente e vivemos em um Sistema Econômico que aprofundou e malignizou ainda mais essas formas perversas de exclusão. 

Quem sabe, a Páscoa, não seja uma data importante para refletirmos sobre nossa capacidade de conviver e acolher os diferentes naquele 'chão' que realmente importa, o 'chão' de nossa vida do dia-a-dia...


Preâmbulo: (...) Considerando que o reconhecimento da dignidade inerente a todos os membros da família humana e de seus direitos iguais e inalienáveis é o fundamento da liberdade, da justiça e da paz no mundo... Disponível em[http://unicrio.org.br/]


Páscoa deveria ser a celebração da VIDA; afinal de contas esta festa rememora a Ressurreição de Jesus Cristo, daquEle que foi o propalador da Religião do amor, da solidariedade, da paz, da justiça e da equidade...

Mas como celebrar a VIDA em tempos que a MORTE é soberana?


Como celebrar a vida quando a Religião do amor foi engessada e transformada em instituições "escravocratas" que impedem a FÉ cristã cumprir seu papel? 

Como celebrar a vida se depois de 2000 anos de cristianismo o Ocidente continua a ceifar vidas pela Violência insana culturalmente disseminada em meio às desigualdades sociais gritantes desde os planos de poderes entre nações, entre continentes e intra nacionais? 

Como celebrar a vida quando a Religião que se arroga disseminadora do projeto de Cristo - está dividada em centenas, milhares, de comunidades que duelam entre si para se saber qual delas é a autêntica de Cristo? 

Como celebrar a vida se a Religião Cristã foi definitivamente cooptada pelo Sistema Econômico Capitalista, subvertendo a ordem dos valores da Cultura do SER pelos da Cultura do TER? 

Como celebrar a vida se estas comunidades religiosas - católicas, evangélicas e tantas outras denominações - vivem, apesar de negarem e dizerem ser para as obras de evangelização que pedem dinheiro, ouro, casas, e outros bens de seus fiéis? 

Como celebrar a vida quando os fiéis religiosos, em sua maioria, vão aos templos buscar apenas MILAGRES e se sentirem bem consigo mesmos em um autêntico culto egocêntrico; reunindo-se em grandes concentrações populares onde um líder os conduzem a seu bel prazer? 

Como celebrar a vida se causas centrais do Cristo - justiça e equidade - são apenas adornos românticos em momentos esporádicos no interior da religião cristã - fundamentalmente romantizadas por pseudas solidariedades, muitas das vezes "virtuais" para ajudar os de longe...??? Pois é mais fácil amar os ausentes do que os presentes...

Como celebrar a vida se a religião do amor converteu-se em religião do desamor; que romantiza dogmaticamente as causas do aborto e da homossexualidade; que impõe sua moral fechada no conjunto de nossas leis; que não deixa o Estado Laico florescer para todos? Que por outros meios que não os da Idade Média - onde matava sem qualquer constrangimento ou pudor em praças públicas - continua a impedir e caçar os que lutam por justiça e equidade? 

Como celebrar a vida se o rosto autêntico do Deus da Vida continua sendo o do Cristo na Cruz, um rosto desfigurado e perpetuado desde que o Imperador Constantino tornou o cristianismo aceito em Roma? 

Como celebrar a vida em meio a um Sistema Econômico - denominado CAPITALISTA - a serviço do DIABO - aquele que divide? Sistema para o qual o que menos vale é o Homem em sua Humanidade, o Homem em sua coletividade, o Homem em sua autonomia cidadã? 

Como celebrar a vida em meio à violência gerada por este sistema que destrói desde o Planeta, perpassando este processo destrutivo pela sociedade e chegando aos índivíduos? 

Como celebrar a vida em uma sociedade PRECONCEITUOSA e discriminatória como a nossa Brasileira? Sociedade que pouco cultua os conhecimentos filosóficos e científicos e vive imersa em dogmas moralistas cristãos julgando e condenado as minorias como homossexuais e grupos sociais históricamente relegados à marginalidade - como os povos nativos, por ex., nossos indígenas?

Como celebrar a vida em uma sociedade que cultua o lixo televisivo global e de outras emissoras - "BBB"- em uma afronta direta a direitos construídos e adquiridos historicamente como o da não invasão arbitrária da intimidade alheia? Como celebrar a vida se as pessoas perderam o bom senso que pauta os limites de nossos direitos e deveres? 

Como celebrar a vida em uma sociedade marcada pela violência cotidiana e que em vez de enfrentá-la inventa neuroses coletivas como "pedofilia" e agora mais recentemente - por incapacidade criacional importam a neura e de quebra o termo "bullying"? Para esvaziar o debate sobre o enfrentamento do preconceito e combate às discriminações...

Como celebrar a vida quando as pessoas não percebem que o Sistema dita a pauta de nossas discussões e ficamos dele refém perpetuando a violência e não o contrário, que seria seu enfrentamento? Reforçando os interesses do OPRESSOR contra os oprimidos...

Como celebrar a vida quando as pessoas não percebem que o problema das drogas não encontra-se nas esquinas em meio aos juvenis que "fumam" ou "cheiram", que a polícia insiste em incomodar com suas arrogantes batidas e revistas? Se quem  mata de imediato é o tráfico e não as drogas...

Como celebrar a vida se a sociedade não percebe ou não quer enfrentar aqueles que promovem o submundo das drogas e se escondem atrás de status quo - engravatados, em mansões altamente protegidas por todas as tecnologias disponibilizadas no mercado, apoiados pela banda podre dos governos, das polícias, da judiciário, benesses adquiridas com o dinheiro oriundo do tráfico e das vidas juvenis ceifadas todos os dias? 

Como celebrar a vida com um sistema judiciário que é extremamente lento e beneficia quem tem dinheiro no bolso - bastando para constatar isso obeservar as origens e condições sociais dos sujeitos predominantes em nossos presídios- porque será? 

Como celebrar a vida com um sistema carcerário que joga no mesmo espaço criminosos de práticas díspares e ainda querem alegar que o sistema recupera o indivíduo para reinseri-lo novavemente no convívio social? 

Como celebrar a vida em um país onde a corrupção é tida como normal; onde os maus políticos são eleitos e se reelegem sempre; onde os eleitores se esquecem no dia seguinte de um pleito em quem votou - impossibilitando qualquer controle dos atos de seus políticos; onde os eleitores não sabem a diferença entre um projeto político neoliberal de um social? Onde os eleitores pobres - em sua maioria - votam em candidatos ricos e não percebem que os eleitores ricos jamais votarão em candidatos pobres? 

Como celebrar a vida em meio a um Sistema Econômico tão desgraçado como este o Capitalista? Que faz dos ricos cada vez mais ricos e dos pobres cada vez mais pobres...

Celebrar a vida é acreditar nos movimentos sociais, nas ONGs, no CONHECIMENTO a serviço do Homem e da Vida; acreditar na cidadania Plena, na autonomia do Homem Cidadão;acreditar que o Estado Laico vai imperar na disseminação dos direitos para todo o conjunto da sociedade... 

Celebrar a Páscoa - definitivamente não pode continuar no romantismo com o qual tudo dita o Sistema

Celebrar a VIDA nessa Páscoa é para quem consegue se solidarizar com seu irmão... Tenho comida e luto com aqueles que não têm para que conquistem esse direito; tenho casa e luto com os sem tetos para que possam adquirir esse direito; tenho renda mensal para ter uma vida tranquila e luto com milhões de famílias que dependem do Bolsa Família para que um dia também possam ter vida tranquila; sou heterossexual e luto com a comunidade LGBT para que esses sujeitos excluídos de nossa sociedade possam um dia ter direitos equiparados; não sou mulher mas luto pelo fim da violência contra elas e pela equiparação de direitos de gêneros; não sou indígena mas luto para que os povos indígenas tenham seus direitos garantidos; não sou negro mais luto para que a população negra seja respeitada e goze de todos os direitos que lhes são de direito como a qualquer branco; não sou de Candomblé mas luto para que todas as religiões sejam tratadas igualitariamente e respeitadas, etc...

Celebrar a vida neste domingo de Páscoa não será - pelo menos no conceito evangélico - um ato
para muitos!!!

Filoparanavai 2015

Filosofia e Mito: Continuidade ou ruptura?



Mito e filosofia 
Continuidade ou ruptura?
Por Delmo Mattos da Silva
Universidade Salgado de Oliveira, Brasil


Pela interpretação tradicional da História da Filosofia, somos persuadidos a crer que a Filosofia emerge entre os Gregos por uma ruptura com o Mito. Não havendo, por assim dizer, uma continuidade dessa forma de se entender a realidade com o afloramento de uma nova atitude frente à realidade puramente racional inaugurada pelos Gregos.

Entretanto, existem inúmeras controvérsias quanto a essa interpretação, o que nos leva a crer, por vários motivos, que há evidencias que nos levariam a aceitar uma continuidade significativa do discurso Mítico no interior da Filosofia nascente, e abandonar a difundida tese do "Milagre Grego". (O "Milagre grego" em nada se aproxima do Mito, são visões totalmente divergentes da realidade, de modo que o acontecimento da filosofia deixa transparecer o testemunho de uma mutação no pensamento.)

Não é fácil, contudo, traçar com precisão uma "fronteira temporal", parafraseando Jaeger, que pudesse nos evidenciar o momento exato de que não mais estaríamos a falar do Mito, mas sim do pensamento racional. Este, porém, seria o sinal para aceitarmos uma provável "conexão orgânica" (continuidade) entre esses dois modos de conhecer a realidade. Contudo, não nos é fácil aceitar de antemão tal evidência, pois sabemos que existem diferenças fundamentais entre Mito (Mythos) e Filosofia (logos). Características que levaram, de fato, os intérpretes da História da Filosofia a sustentarem a tese da descontinuidade entre Mito e Filosofia. 


Sabemos que a constituição Mitológica, como forma de se entender a realidade, estava enraizada no interior da sociedade grega tão profundamente, que seria até óbvio que houvesse uma persistência e confluência na fase inicial da Filosofia. Atentemos neste momento, em definir o que era o Mito e qual a sua função na sociedade grega. 

O Mito, enquanto uma narrativa, corresponde à primeira forma de se pensar o real, ou de representá-lo. Neste caso encontramos uma explicação ou um relato de um acontecimento que teve um lugar no tempo primordial de modo que institui um começo ou uma origem para tal acontecimento. 

Na verdade, o Mito narra como, graças aos feitos de personagens sobrenaturais, uma realidade veio a existir efetivamente, seja a realidade na sua totalidade — o Cosmos, ou apenas um fragmento dessa realidade. Assim dentro da sociedade grega o Mito destina-se a satisfazer uma curiosidade, que não é científica, de fazer reviver uma realidade original, e, sobretudo, responde a uma profunda necessidade religiosa às aspirações morais, restrições e imperativos de ordem puramente social. O pensamento Mítico guarda em si diferenças que não são acompanhadas pela tradição racional do pensamento — por esse motivo uma leitura filosófica renuncia de bom grado a explicação do Mito. Porém, há um ponto de convergência bastante interessante: o fato de que o Mito se comporta, apesar de suas peculiaridades, como uma explicação simbólica sobre a origem. Esse ponto é fundamental para os intérpretes que procuram um ponto de conexão entre o pensamento Mítico e o racional: A questão da origem. A questão da origem nos remete ao fundamento de algo, daquilo que brota e emerge esse algo. Na verdade, tanto o Mito quanto a Filosofia asseguram para si uma explicação sobre a origem do Universo. Guardada as devidas proporções tanto o Mito quanto a Filosofia possuíam a mesma preocupação sendo que explicada de maneiras diferenciadas.

Procurando distanciar-se dessa concepção, o historiador inglês John Burnet, afirma ser impossível constar algum tipo de continuidade entre o Mito e a Filosofia. Contra essa continuidade, como já havíamos demonstrado acima, Burnet afirma que certas características predominantes no Mito são totalmente contrárias às da Filosofia no seu estágio inicial. Burnet, nesse sentido, assume a interpretação tradicional da História da Filosofia, mais precisamente a interpretação do Filosofo Alemão Hegel. Em sua obra História da Filosofia Hegel enfatiza a distinção entre "Filosofia oriental" e "Filosofia Grega", segundo o qual primeira é representada por ser religião contrastando com a segunda, que Hegel descreve como uma ruptura frente à religião. A interpretação de Hegel sobre o nascimento da Filosofia possibilitou a margem para que, posteriormente, os historiadores da filosofia admitissem que o nascimento da Filosofia significasse uma descontinuidade ou uma ruptura total com a religião e com os Mitos (a tese do "Milagre Grego"). Como exemplo dessa posição vejamos o que Burnet entende sobre esse ponto:

"Os primeiros gregos que tentaram compreender a natureza não eram como homens que entram num caminho que nunca fora percorrido. Já existia uma visão do mundo possivelmente consistente, ainda que apenas pressuposta e implícita no rito e no mito e não distintamente concebida como tal. Os primeiros pensadores fizeram algo muito maior do que um simples começo. Despojando-se da visão selvagem das coisas, renovaram a juventude delas e, com elas, a juventude do mundo, em um tempo em que o mundo parecia abatido pela senilidade". (BUNET, J. O Despertar da Filosofia Grega. São Paulo: Siciliano, p. 34.)

Embora as afirmações de Burnet nos induzam a aceitar tal descontinuidade entre Mito e Filosofia, não nos deixemos envolver tão facilmente pela sua posição. Se realmente há uma ruptura radical como ele propõe o que dizer das autenticas exemplificações contidas nas teorias de Platão e, até mesmo Aristóteles? Contrapondo-se a Burnet o Helenista Cornford contesta a idéia de que o nascimento da Filosofia tem por característica principal uma ruptura direta e total com o Mito. A preocupação fundamental de Cornford foi "estabelecer, entre a reflexão filosófica e o pensamento religioso, que tinha precedido, o fio da continuidade histórica" (VERNANT, Jean Pierre. Mito e pensamento entre os gregos. São Paulo, Difusão Européia do Livro, 1973, pp. 168-86.). Tal pretensão de Cornford foi muito difundida a ponto de se tornar um paradigma para os historiadores da filosofia. A interpretação de Cornford admitira uma transformação no modo de encarar o início da Filosofia. Na base de sua interpretação está a idéia de que o pensamento dos primeiros filósofos não representa, pois, o processo inicial da reflexão grega, mas, ao contrário, o pensamento Grego só pôde atingi-lo com base em uma reflexão anterior. Essa representação anterior é representada, de um lado, pelo Mito, ou melhor, pelas Teogonias que são as primeiras explicações da natureza em seu conjunto, porém, situadas inteiramente no plano do Mito. Na visão de Cornford, as Teogonias Míticas gregas adiantaram-se à Filosofia na tentativa de esclarecer as relações percebidas entre os fatos naturais. Entretanto, Cornford vai até mais longe na sua interpretação, admitindo a presença da estrutura dos Mitos continua presente nos filósofos posteriores, contrariando, por assim dizer, a interpretação de Burnet e da tradição dos historiadores da filosofia. Todavia, os próprios representantes da concepção tradicional sobre o início da Filosofia reconhecem que a meditação filosófica tivera um antecedente nas representações religiosas, que apresentavam, em forma Mítica os mesmo problemas que mais tarde a Filosofia em forma racional levantou. De acordo com R. Mondolfo é justamente a de que a característica essencial de toda Teogonia — e não apenas da grega — é que "seu caráter mítico está determinado pelo fato de se extraem do mundo humano, das experiências da vida e das relações sociais, da geração e da luta, os elementos fundamentais para as suas explicações e interpretações do devir cósmico, e é por isso que representam as relações entre os seres e as forças, os fenômenos e os momentos do imenso processo universal como relações entre personalidades concebidas antroporficamente" (MONDOLFO, R. El pensamento antiquo. Buenos aires, Losada,1952. p. 9-103). Seguindo essa interpretação, podemos traçar um paralelo entre os dois modos de representação: ao recolher a herança de reflexão das Teogonias, a Filosofia incipiente herdou também um concepção da natureza dependente de uma consideração anterior ao mundo humano. Dessa forma Mondolfo explica que "em suas concepções de gênese e da constituição do cosmo, tanto as Teogonias poéticas quanto às cosmogonias filosóficas gregas partem de concepções e representações referentes às relações entre homens e suas gerações" (Idem. Em los orígenes de la filosofia e de la cultura. Buenos Aires, Imán, 1942.). A tese fundamental de Mondolfo são que a primeira reflexão sobre a natureza tanto em sua forma Mítica como em sua forma filosófica, se entrelaça como uma reflexão sobre o mundo humano, que a precede em que se apóia. A frase usada por Vernant para sintetizar tanto o pensamento de Burnet como de Cornford sobre a dependência da Filosofia em relação à mitologia é que "os filósofos não precisaram inventar um sistema de explicação do mundo: acharam-no já pronto". Ora, se por sua argumentação a favor do relacionamento da Filosofia com as formas anteriores de reflexão, expressa de modo poético, Mondolfo torna-se participante, ao lado de Burnet da tese da continuidade. Para estes, os filósofos deram respostas às mesmas perguntas feitas pelos Mitos e seguiram, nas respostas, a mesma estrutura que os Mitos propunham, isto é, a Filosofia continuaria trazendo as mesmas concepções Míticas mais, simplesmente de forma secularizada. Assim o Mito recebe da Filosofia a conceituação lógica, enquanto a Filosofia recebe do Mito os conteúdos que precisam ser pensados, de sorte que "devemos considerar a história da filosofia grega como processo de progressiva racionalização do mundo presente no mito". (BRAVO, B. Philologie, Historie, Philosophie de l'historie, Varsóvia, 1968)

Seguindo as mesmas concepções de Burnet e Cornford, Jaeger considera que a Filosofia nasce passando pelo interior da epopéia homérica e dos poemas de Hesíodo, de tal modo que o começo da filosofia científica não coincide com o princípio do pensamento racional nem com o fim do pensamento Mítico. No entanto, mesmo que estejamos certos dessa continuidade, diz Jaeger, não podemos mais nos contentar com a idéia de que a Filosofia diz o mesmo que o Mito, só de outra forma. O problema do surgimento da continuidade ou não entre Mito e Filosofia volta a se colocar de uma maneira diferente. Assim Vernant diz:

"Já não se trata apenas de encontrar na filosofia o antigo, mas de destacar o verdadeiramente novo: aquilo que faz, precisamente, com que a filosofia deixe de ser mito para ser filosofia. Cumpre, por conseguinte, definir a mutação mental de que a primeira filosofia grega dá testemunho, precisar sua natureza, sua amplitude, seus limites, suas condições históricas". (VILHENA,V.M. Panorama do Pensamento Filosófico, Vol. 2, Lisboa: Cosmos, 1958, p. 34)

Para os intérpretes da descontinuidade, a originalidade da Filosofia em relação ao Mito é conseqüência direta da "laicização do pensamento". Estudando as transformações sociais e políticas ocorridas na Grécia, no período arcaico, Pierre Schuhl acentua a função libertadora que tivera, para o espírito, instituições com a moeda, o calendário, a escrita alfabética; e afirma que práticas como a navegação, de longo curso, e a expansão do comércio deveria causar uma nova orientação do pensamento. Sobre esse ponto comenta Nietzsche:

"Nada há de mais absurdo do que atribuir aos Gregos, uma cultura autóctone, pelo contrario, assinalaram a cultura viva de todos os outros povos e, se chegaram tão longe, foi porque souberam continuar a arremessar a lança onde um outro povo a tinha deixado" (SCHUHL, Pierre Máxime. Essai sur la formation de la pensée grecque. Paris: Press Universitaires de France,1949, p. 123.)

Na verdade, a primeira sabedoria grega, característica dos homens que os Gregos celebraram sempre como seus primeiros e mais autênticos sábios, e que marca o momento de ruptura com a explicação mítica do real, não possui por objeto o universo da Physis, mas o mundo dos homens: que elementos os compõem, que forças o divide contra si mesmos, como harmonizá-las, unificá-las, para que a partir de seus conflitos surja a ordem humana. Ao nascer, a Filosofia se enraíza profundamente nesse novo pensamento político, traduzindo suas preocupações fundamentais e tirando dele parte de seu vocabulário. Diante disso, podemos inferir que, a grande "viragem" do pensamento deu-se, portanto, quando os primeiros sábios começaram a refletir sobre a vida humana tal como se apresenta na pólis. Assim os primeiros filósofos aproveitaram o espaço assim aberto para a reflexão e voltaram-se para a natureza. (Por detrás do "milagre grego" havia embutido um espírito de contestação ao que era divino e decadente. Não existia mais lugar para agentes divinos atuando no mundo natural. A perspectiva do "milagre grego" é acima de tudo uma revolução do pensamento, que brota do espírito especulativo que somente os gregos puderam por em prática.)

Diante do impasse entre as diversas interpretações, isto é, de querer sustentar a tese de que a Filosofia seria um "Milagre Grego" ou a tese da continuidade entre Mito e Filosofia seria mais prudente de nossa parte determinar o próprio ato de filosofar. Para a partir daí, se verificar o que a Filosofia traz de novo em relação ao Mito e o que o pensamento Mítico deixa a desejar para a Filosofia. Na verdade, não há uma conclusão plausível para esta questão: se falarmos de uma total ruptura da Filosofia com o Mito, o que dizer então da tese de Burnet? A tese de Cornford não é tão absurda assim, há elementos evidentes de uma certa continuidade na linha de pensamento entre o Mito e a Filosofia. A grande questão é que o discurso mítico diz diferentemente o que a Filosofia viria a dizer depois. Não há como negar esta evidência, pois tanto o Mito como a Filosofia tratam da mesma preocupação. O que dizer então da tese de Hegel, ou seja, da ruptura radical como o discurso Mítico também, por esse aspecto em nada podemos discordar. Há evidencias textuais que colaboram para essa interpretação. Talvez a solução dessa problemática ainda não foi resolvida de modo suficiente pelos historiadores da Filosofia de modo que ainda há muito que se discutir sobre esse tema. Por outro lado, deve haver uma solução plausível, mas que deixa muito a desejar sob o meu ponto de vista. O interessante nesse meio termo é definir o que exatamente mudou quando o pensamento se deparou com essa nova atitude do pensamento. Por esse lado, não dúvidas o quando a Filosofia se distanciou da explicação Mitológica a ponto de se manter distante o bastante com o surgimento de novos problemas que o Mito ainda não tematizava. Aí entra, uma outra questão: será que sem o discurso Mítico a Filosofia poderia ter surgido? Seria o discurso Mítico o suporte que daria asas ao pensamento racional? Sobre esse ponto não me resta a menor dúvida. O discurso Mítico é a base sem a qual não haveria Filosofia e, aí, retornaríamos a velha questão da continuidade. De certa forma, se o discurso Mítico é a base de sustentação da Filosofia isso não quer dizer que no seu interior a Filosofia carregue consigo as mesmas características do pensamento Mítico. Há sim uma mudança de enfoque oriunda de uma nova mentalidade adquirida pelos Gregos. Esse novo enfoque adquire um estatuto de credibilidade não alcançado pelo discurso Mítico. A originalidade da Filosofia se deve ao fato de que esta se detém no real, ou seja, naquilo que o pensamento apreende sem intervenção alguma. Por isso, pode se falar de um "Milagre Grego", isto é, uma "mutação mental" capaz de penetrar progressivamente numa esfera de relação com aquilo que o real nos oferece. Sob a ótica do racional sem a intervenção do misterioso o deslocamento do olhar do pensador se volta para as raízes acolhidas no plano físico, do factual. Por isso deixa-se de se ater ao que é divino e fantasioso, pois este ponto de vista não esclarece de fato o que podemos contestar, para se voltar sobre o solo especulativo a fim de que, tais evidências sejam colocadas em dúvida. O caráter estritamente especulativo da Filosofia nascente reforça a idéia de que com os gregos inicia-se a gênese do pensamento científico. A Filosofia é grega e a "Filosofia grega" é um "exercício do conhecimento". Não importa se o seu aparecimento seja um começo absoluto — sem passado e sem família — a sua originalidade é de ser uma experiência do pensamento diferente do Mito. Mesmo que haja convergência de idéias ou características, a Filosofia grega será sempre uma experiência do pensar diferente de tudo o que já foi visto. A experiência radical do pensamento só poderia vir de um solo tão firme que o que se ergueria depois, jamais poderia ser demolido tão facilmente.


Delmo Mattos da Silva
fonte: criticanarede

Bibliografia

•BRAVO, B. Philologie, Historie, Philosophie de l'historie, Varsóvia, 1968.
•COLLI, Giorgio. O nascimento da Filosofia. Campinas: Ed. Unicamp, 1992.
•CORNFORD, F.M. Principium Sapientiae — As origens do pensamento filosófico grego, Lisboa: F.C.G., 1981.
•BURNET, J. O despertar da Filosofia Grega. São Paulo: Siciliano, 1994.
•HEGEL, G.W.F. Leçons sur L'historie de la Philosophie. Paris: J. vrin, 1971.
•JEAGER, Werner. Paidéia. São Paulo: Martins Fontes, 1989.
•MONDOLFO, Rodolfo. Problemi del pensiero ântico. Bolonha: Capelli, 1936.
•——. El pensamiento antigo, Buenos Aires: Losada, 1952.
•——. Em los orígenes de la filosofia e de la cultura, Buenos Aires: Imán.
•——. El pensamento antiquo. Buenos aires: Losada, 1952.
•NIETZSCHE, F. A Filosofia na época clássica dos gregos. Rio de janeiro: Elfos, 1995.
•SCHUHL, Pierre Máxime. Essai sur la formation de la pensée grecque. Paris: Press Universitaires de France, 1949.
•VERNANT, Jean Pierre. Mito e pensamento entre os gregos. São Paulo, Difusão Européia do Livro, 1973.
•——. Mito e tragédia na Grécia antiga. São Paulo: Duas cidades, 1977.
•——. As origens do pensamento grego. São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1972
•VILHENA,V.M. Panorama do Pensamento Filosófico, Vol. 2, Lisboa: Cosmos, 1958.


Filoparanavai 2015
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...