http://filoparanavai.blogspot.com.br/

sábado, 14 de fevereiro de 2015

PARANÁ EM "PESADELO"...

Se o Aécio Neverporto fosse eleito … 
já imaginou ?


Vendo a campanha suja contra o governo de Dilma que os adeptos de Aécio Neves, fazem dia e noite nas redes sociais e na mídia oficial, ainda inconformados com a vitória do PT, cheguei a dizer dias atrás - para um aluno - que eu pagaria para que os “idiotas políticos” que ficam reproduzindo essa campanha por meio de compartilhamentos, vivessem sob um governo de Aécio Never e do PSDB para entenderem um pouquinho só de política que seja, já que não aprendem pelos livros e análise crítica da realidade que ao menos aprendessem vivenciando na pele.

Infelizmente, no Paraná, eu não preciso pagar, pois estou vendo de graça. 


É no governo Tucano de Richa, aquele mesmo que Aécio dizia ser “modelo de gestão” a ser seguido. Apenas para lembrar, ainda em maio de 2014, reforçando uma crítica ao elogio de Aécio, o blogueiro Esmael Moraes escrevia: 

“O diabo é que o “choque de gestão” de Richa literalmente quebrou o Paraná, fato este que já é de conhecimento de todo o país. Além de calotes em fornecedores, a gestão tucana deixa viaturas das polícias sem combustível e até os cães a serviço da PM passam fome por falta de ração. A cada fim de mês, Richa rebola para pagar a folha do funcionalismo inchada pelo excesso de comissionados.” [LEIA MAIS DANDO CLIQUE AQUI

Mas, porque comparar Aécio e Richa? 

Se ainda quisermos mais motivos basta lembrar que são do mesmo partido e seguem a mesma ideologia neoliberal. Disso, ou seja, sobre o neoliberalismo tratarei mais adiante no texto. Antes, quero lembrar que Aécio derrotou Dilma por mais de 1,3 milhão de votos no Paraná. O tucano obteve 60, 98% dos votos válidos no estado, contra 39,02 da atual presidente. Vale lembrar ainda que Aécio já havia vencido no primeiro turno também, com 49,79%

Já Beto Richa, atual governador e candidato à reeleição no Paraná em 2014, foi reeleito para o cargo, com 55,67% dos votos ainda no primeiro turno, ficando seu oponente Roberto Requião (PMDB) em segundo lugar, com 27,56%, percentual insuficiente para levar a eleição ao segundo turno. 

Essa pergunta é que nunca quer calar, POR QUAIS MOTIVOS O PARANÁ ELEGEU RICHA NO PRIMEIRO TURNO? Se já era sabedor de que o governo que concorria à reeleição já havia quebrado o Estado?

O mais intrigante de tudo isso é que muito professores e outros componentes do quadro do funcionalismo público do Paraná que hoje saem às ruas ajudaram eleger Richa e quase ainda deram Aécio de presente para o Brasil. Dois presentes de grego, só se for... Será mesmo que aprenderão alguma coisa com toda esse mobilização política de enfrentamento ao desmonte do estado que ocorre hoje no Paraná? E o que falar dos deputados/as em sua maioria inimigos do povo e subservientes aos interesses do governo do Palácio Iguaçu? Serão lembrados na hora dos próximos votos?

Não é difícil entender, Richa manteve em seu primeiro governo aquilo que mantém no atual, um Legislativo completamente dominado com uma oposição em termos de números extremamente inexpressiva. O apoio é dado em troca de benesses às cidades concedidas pelo governo executivo e que reforça as imagens dos deputados/as em suas bases eleitorais visando as próximas eleições. Até mesmo o PMDB de Requião oferece ao governo seu Líder na Assembleia Legislativa, Luiz Claudio Romanelli, responsável por impor aos deputados/as as vontades do chefe do Palácio Iguaçu. Responsabilidade essa exercida por ele na votação do requerimento de Comissão Geral para aprovação de “pacotaço de maldades” contra o funcionalismo e a população paranaense. O requerimento foi aprovado no dia 10 de fevereiro de 2015, por 34 votos a favor e 19 contra, sendo nesse momento a Assembleia completamente ocupada por manifestantes que se encontravam na praça forçando a suspensão da sessão. [LEIA MAIS AQUI]



Ora, para compreendermos porque os paranaenses votaram em sua maioria no governo Richa e em seu padrinho Aecio QUASE QUE DE FORMA CEGA - politicamente dizendo, além dessa maioria que tem no legislativo, parece que há uma certa cooptação também do Judiciário que estranhamente dá respostas muito rápidas quando se tratam de matérias do governo naquele poder. As muitas benesses do atual governo do Paraná aos funcionários daquele poder talvez explique isso, especialmente o auxílio-moradia de R$ 4 mil a juízes. [LEIA MAIS AQUI][ENTENDA MAIS AQUI]

Portanto, não bastando essa “harmonia” entre os três poderes para compreendermos essa blindagem do governo Richa, há que se atentar para o fator mídia. A primeira responsabilidade da imprensa deveria ser a precisão e a verdade. No Paraná a mídia nem sempre trabalha com a precisão e a verdade a exemplo da mídia no restante do país. Há seis famílias que controlam 70% da imprensa no Brasil, mas o problema é o mesmo no Paraná. O governo investe muito dinheiro em publicidade sendo responsável por uma enorme fatia do lucro dessas empresas. No momento em que vivemos essa crise financeira no Paraná o governo investe pesado em publicidade a toda meia hora em horário nobre da Rede RPC-TV do Grupo Paranaense de Comunicação (GRPCOM), que controla TVs, Rádios, Jornais e Revistas – um absurdo essa concentração - para justificar as ações do governo e investe pesado na inserção de propagandas de suas secretarias, como por exemplo, da segurança – ainda que informações politicamente corretas, não são verdadeiras para quem vive na realidade nua e crua do cotidiano paranaense.

Quem vai pagar?

Em 2013 o Paraná já havia estourado o limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Ultrapassou o limite prudencial, 46,55% da RCL e já sofria algumas sanções. [LEIA MAIS AQUI]

ENTENDA O QUE ACONTECE COM O ESTADO QUE ESTOURA O LIMITE DA LRF: Os estados que ultrapassam o limite prudencial sofrem restrições à concessão de reajustes (apenas os aumentos determinados por contratos e pela Justiça são autorizados), à contratação de pessoal (exceto reposição de funcionários na saúde, na educação e na segurança), ao pagamento de horas-extras e ficam proibidos de alterar estruturas de carreiras. Quem estoura o limite máximo, além das sanções anteriores, fica proibido de contrair financiamentos, de conseguir garantias de outras unidades da Federação para linhas de crédito e de obter transferências voluntárias.

A GRANDE ACUSAÇÃO DO GOVERNO LOCAL É DE QUE O FEDERAL NÃO LHE REPASSA O DINHEIRO DE DIREITO. ACONTECE QUE, TEORICAMENTE PELO MENOS ATÉ ONDE SEI,  O GOVERNO FEDERAL ESTÁ IMPEDIDO DE REPASSAR ESSAS VERBAS A NÃO SER POR MEIO DE DECISÃO JUDICIAL.

Nos últimos quatro anos, podemos dizer sem medo algum que a maior parte das obras que temos no Estado do Paraná é do governo Federal [http://www.pac.gov.br/]. O governo Federal por meio do PAC – Programa de Aceleração do Crescimento investe pesado em todo o Paraná e, na hora das inaugurações das obras há muita briga entre os representantes do governo Federal e o governo do Estado na disputa pelos holofotes e pela paternidade das mesmas. 

Em Paranavaí, cidade do interior do Paraná, onde resido, chegou asfalto e galerias de captação de águas das chuvas em todos os bairros periféricos, temos hoje 81,85% de rede coletora de esgoto, sendo que 100% do esgoto coletado recebe tratamento; centro tecnológico de educação; UBS; supercreches; centros de eventos desportivos para juventude; moradias minha casa minha vida em grande número. [Basta conferir as notícias do site da prefeitura e verão que as obras que aqui chegam e beneficiam toda a população vem dos PACs LEIA MAIS AQUI

Feito essas considerações é bom lembrar ainda que em meio a tensão que vivemos no Paraná nesse momento, a bancada de oposição na Assembleia Legislativa começou a coletar assinaturas visando criar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o sumiço de entre R$ 50 bilhões e R$ 70 bilhões dos cofres públicos. Na prática, a CPI quer fazer apenas uma pergunta ao governador Beto Richa (PSDB): "cadê o dinheiro?". [LEIA MAIS AQUI]

A mídia esconde desde 2012 que a União não repassa dinheiro ao estado do Paraná por conta do estouro do limite da LRF. A mídia não explica isso. Mesmo assim, o Paraná está entre os seis estados da federação que mais arrecada, porém, também entre os que mais gastam sem saber publicamente onde. A arrecadação se deve a um aumento abusivo das taxas de energia elétrica, água, pedágio – o mais caro do Brasil; dentre outros serviços. [DE TRATORAÇO EM TRATORAÇO GOVERNO DO PARANÁ PRECARIZA A VIDA DOS PARANAENSES: Aumenta de 12% para 18% ou 25% a alíquota do ICMS sobre até 95 mil itens de consumo popular; em 40% a alíquota do IPVA; e em um ponto porcentual a do ICMS do álcool e da gasolina. LEIA MAIS AQUI]

A EDUCAÇÃO EM "XEQUE-MATE" NO PARANÁ: Em 2015, ainda em janeiro, o governo Richa iniciou um desmonte das escolas públicas do Paraná. Um pesadelo que pegou todos os educadores de surpresa. 

A otimização incluía revisão do porte das escolas, fechamento de turmas, fechamento de prédios de escolas, fechamento de cursos, despensa de funcionários excedentes, redução dos contratos de novos professores com o retorno de profissionais em desvio de função em órgãos administrativos do governo. Além de calote em terço de férias e não pagamento de rescisão de contratos temporários, o governo anunciava o fim do plano de carreira do funcionalismo público do Paraná atingindo de cheio os professores e funcionários de escolas; além de pretender ainda meter a mão em bilhões de reais para certamente gastar a seu bel prazer: “O governador quer meter a mão nos R$ 8 bilhões que pertencem aos 200 mil funcionários do estado.” [LEIA MAIS AQUI

Educadores unidos aos funcionários de outras áreas do serviço público impediram a consecução desse objetivo do governo Richa pelo menos por esse momento. [LEIA MAIS AQUI]

No dia 10 de fevereiro de 2015, um dia histórico para a luta dos servidores públicos do Paraná, depois de dias em vigília acampados na praça do poder Legislativo do Estado, na capital Curitiba, após vitória do governo na primeira votação, 50 mil pessoas forçaram as grades do prédio e fizeram a apelidada "tomada da bastilha", ou seja, ocupação total dos prédios da Assembleia, fazendo com que a sessão fosse suspensa. 



ASSISTA O MOMENTO DA OCUPAÇÃO DA ASSEMBLEIA DANDO CLIQUE AQUI


O atual governo do Paraná, orientado pela ideologia neoliberal tucana do PSDB, terá quatro anos para fazer caixa e sair da crise financeira na qual jogou o Estado. O funcionalismo será penalizado assim como o povo paranaense como já vimos acima; mas nossas empresas de água e energia elétrica também serão penalizadas por meio de privatizações fatiadas. Nada escapará dessa sanha privatista tucana. [até nossas florestas já estiveram na mira de fogo dos tucanos: LEIA MAIS AQUI]

SANEPAR PRIVATIZADA ÁGUA MAIS CARA, LUCRO NO BOLSO DOS GRINGOS: “É chover no molhado recordar, mas este blog denunciou no ano passado que a venda das ações da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), liderada pelo governador Beto Richa (PSDB), resultaria em novo aumento na tarifa de água e esgoto. O dinheiro, por óbvio, será embolsado pelos sócios privados. A companhia agora fala em reajuste de 8,17%, que ainda depende de homologação do Instituto das Águas do Paraná — órgão comandado por Márcio Nunes. Pelo histórico, o consórcio francês Dominó não terá nenhuma dificuldade em aprovar mais essa tungada nos consumidores paranaenses. Com esse aumentão previsto para os próximos dias, a tarifa terá acumulado reajuste de quase 50% durante o governo Richa. Ou seja, nunca a água foi tão cara no Paraná. Nem no deserto do Saara o precioso líquido custa tão caro como aqui nestas plagas. [LEIA MAIS AQUI]

O QUE É O NEOLIBERALISMO? 
Em linhas gerais, defende a não intervenção do Estado na economia do país e o incentivo do setor para as empresas privadas, adotando medidas de livre comércio e privatizações de determinados setores públicos.

QUANDO SURGIRAM AS TEORIAS DO NEOLIBERALISMO E SUA APLICAÇÃO? 
É a partir da crise do modelo econômico do pós-guerra, em 1974, quando a economia mundial foi jogada numa recessão, que as idéias neoliberais passaram a ter espaço. O receituário liberal era duro: a manutenção do Estado forte na capacidade de romper com o poder dos sindicatos e no controle do dinheiro, mas parco em todos os gastos sociais e nas intervenções econômicas. Em sua aplicação prática, a construção da hegemonia neoliberal iniciou-se ao final dos anos 70, quando foi eleita Margaret Tatcher em 1979 na Inglaterra e Ronald Reagan em 1981 nos EUA. É pertinente salientar a capacidade d a ideologia neoliberal tornar-se hegemônica para boa parte dos países que anteriormente tinham como paradigma o Estado de Bem-Estar Social. Uma das razões para a constituição de sua hegemonia pode ser explicada através da desregulamentação financeira. Fruto do processo de mundialização, trata-se de um mecanismo para a manutenção da acumulação de capital por parte das elites, como forma a substituir a pujança e a lucratividade da produção de mercadorias reais de outrora. Ademais, o próprio colapso da URSS contribuiu tangencialmente para o triunfo do neoliberalismo liderado e simbolizado por Tatcher e Reagan. [LEIA MAIS]

Para avançar nessa reflexão, eu gostaria de lembrar aos que reproduzem dia e noite nas redes sociais inverdades contra o governo de Dilma ou críticas descontextualizadas – unindo-se aos aecistas derrotados, aos neoliberais de carteirinha também derrotados na última eleição presidencial, enfim, inverdades produzidas pela elite que odeia trabalhadores, pela mídia porta voz da burguesia financeira – que caso o PSDB tivesse ganho a eleição o Brasil estaríamos  hoje nas mãos de Aécio Never em situação semelhante à do Paraná, ou seja, de desmonte do Estado. Quem conhece a era FHC sabe o que foi a era LERNER no Paraná; quem conhece o PSDB e seus governos privatistas e neoliberais em Minas Gerais e São Paulo consegue entender hoje o governo de Beto Richa e o futuro que aguarda os Paranaenses. 

Essa é a diferença crucial entre DILMA e Aécio, ente o PT e o PSDB; o governo de Dilma segue outra cartilha ideológica a do chamado Liberalismo Social. NÃO ESTOU DIZENDO QUE A ECONOMIA NO GOVERNO DILMA ESTÁ UMA MARAVILHA, porque não está, o Brasil também enfrenta a mesma crise que qualquer outro país na atual conjuntura econômica mundial. MAS, O FATO É QUE, OS AJUSTES NO GOVERNO DILMA TENDEM A PRESERVAR AS POLÍTICAS PÚBLICAS E DE VALORIZAÇÃO DOS SALÁRIOS E GERAÇÃO DE EMPREGOS, ou seja, justamente o contrário do que faria Aécio Neves.

Para você entender melhor o que é esse Liberalismo Social adotado por Lula e Dilma dentro daquilo que é possível em nossa realidade política e econômica dominada pelos neoliberais, pelo conservadorismo reacionário, pelas elites burguesas dominantes; vou apresentar a seguinte definição: 

“O Liberalismo Social, tal como outras formas de Liberalismo, vê a liberdade individual como um objetivo central - mas defende que a falta de oportunidades econômicas, educação, saúde, etc., podem ser tão prejudiciais para a liberdade como um Estado opressor. Derivado disto, os liberais sociais estão entre os mais fortes defensores dos direitos humanos e das liberdades civis, combinando esta vertente com o apoio a uma economia em que o Estado desempenha essencialmente um papel de regulador e de garantidor que todos têm acesso, independentemente da sua capacidade econômica, a serviços públicos que asseguram os direitos sociais fundamentais.” [Adaptado de: LEIA MAIS]

Tanto Dilma quanto Aécio precisariam fazer ajustes na economia do país. A diferença é essa, Dilma privilegia investimentos em políticas públicas e geração de empregos e ainda, garantia de manutenção positiva do poder aquisitivo de salários; enquanto Aécio começaria por reduzir investimentos em políticas públicas. Ora é preciso Aécio ganhar uma eleição para termos certeza disso? Claro que não. O ministro de Aécio para a economia [pasta da fazenda]seria Armínio Fraga.

“No governo FHC, Malan e Armínio eram vistos como monetaristas, por defenderem o controle rígido da política monetária em contraposição aos desenvolvimentistas, mais favoráveis a políticas de incentivo ao crescimento. Durante a era FHC, (1995-2002), marcada pela estabilidade econômica, reformas do Estado e privatização, o País cresceu uma média anual de 2,48%. Nos dois mandatos de Lula (2003-2010), o índice foi de 4,65%. No primeiro ano de governo Dilma, o PIB cresceu 2,7%.” [LEIA MAIS]

Para tanto, tente entender os seguintes raciocínios e você entenderá porque as elites dominantes preferem e pregam o neoliberalismo, o mesmo que quebrou e vendeu o Brasil a preços de bananas na era FHC, o mesmo que detonou a economia da Europa e do mundo. Os ricos ganham tanto sob governos neoliberais como nos governos liberais sociais, os bancos, industriais, empresários, por exemplo, nunca lucraram tanto como nos governos Lula e Dilma.

NO NEOLIBERALISMO: Desmonte do Estado + Privatização de serviços antes oferecidos pelo Estado Saúde, Educação, etc... + Monopolização da Economia (na liberdade econômica sobrevivem apenas os mais fortes – adeus micro e médios empresários) + Redução do poder aquisitivo de salários para aumentar lucros dos capitalistas + Menos consumo + Desemprego + aumento de preços segundo o gosto do mercado + pobreza e miséria + violência + assistencialismo social que no neoliberalismo é literalmente “esmola”. Os ricos ganham porque o lucro aumenta em cima da mão de obra extremamente barata.

NO LIBERALISMO SOCIAL: Fortalecimento do Estado + Não privatização e fortalecimento das Estatais – daí importante você entender porque os neoliberais atacam as investigações de corrupção na empresa e porque pedem privatização da Petrobrás a mais forte empresa Estatal do país + Investimento social nos serviços públicos como saúde, educação, etc... buscando a qualidade e universalização no atendimento + políticas públicas de combate à pobreza e miséria (Bolsa Família não é esmola, é o maior programa de políticas públicas do mundo e que já atendeu mais de 50 milhões de brasileiros em situação de risco. Programa modelo copiado por mais de 60 países tem além de uma pequena quantia em dinheiro como ajuda às família, exigências de frequência à escola por parte das crianças e adolescentes beneficiários; pesagem e carteirinha de vacinação das crianças em dia; cursos de qualificação profissional para os pais beneficiários; incentivo a abertura de micro e pequenas empresas – cooperativas, etc...) + Poder aquisitivo do salário aumentado + Mais consumo + Mais emprego. Os ricos ganham porque o lucro também aumenta, ainda que esse lucro seja mais compartilhado por mais detentores do capital.

É isso que faz as elites babarem de raiva e ódio dos governos de Lula e Dilma, pois os governos Liberais Sociais nesses mais de 12 anos têm além de reduzido a pobreza e miséria, colocando mais gente na chamada Classe Média, possibilitou o consumo para mais pessoas, gente que não consumia por exemplo voos aéreos agora o fazem lotando os aeroportos que antes eram reservados somente para os “engravatados e cheirosinhos”, acesso a eletrodomésticos, automóveis, imóveis, etc... implicou em uma mudança da qualidade de vida dos brasileiros.

Essa é a diferença. 

COSTUMO DIZER O SEGUINTE PARA MEUS ALUNOS: Infelizmente as pessoas, no geral, não conseguem entender a realidade que lhe cerca por meio da leitura de clássicos como Platão, Aristóteles, John Locke, Nicolau Maquiavel, Montaigne, Adam Smith, Francis Bacon, Rousseau, Marx e outros... 

É necessário que um dia ele ligue a torneira e vendo que de lá não sai água e que ainda paga uma taxa abusiva para então começar a pensar, e ainda, esse pensar terá que superar as “mentiras” da mídia que diz faltar água por culpa de “São Pedro”, para entender então que o problema decorre da privatização de uma empresa estatal estratégica e que deveria ser de atendimento universal. Lucros que ao invés de serem investidos na ampliação e melhoria do sistema de captação e distribuição de água à população simplesmente vai para os bolsos dos gringos. Isso já acontece em São Paulo e não demorará muito a acontecer no Paraná com a privatização lenta e gradual da SANEPAR, hoje esse nome no futuro quem é que vai adivinhar o novo nome, não é mesmo?

Para encerrar, quero inclusive lembrar porque é que a mídia ataca tanto o governo por meio das investigações de corrupção na Petrobrás. É porque as investigações estão chegando neles, pegando donos de empreiteiras – por que tanta indignação com os políticos? Apenas contra os políticos... E essa elite empresarial que rouba o sangue dos trabalhadores e os cofres públicos? Do que tem medo a elite burguesa desse país, obviamente de que cheguem cada vez mais e mais neles?

A investigação na Petrobrás só acontece por causa dos governos de Dilma e Lula. Antes as investigações de corrupção eram engavetadas. Hoje existe investigação e punição, o governo sente na pele pois políticos de sua base estão também sendo capturados; delação premiada e não troca de juízes e delegados nos casos foi uma garantia conquistada por Dilma. 

O que não falar, não é mesmo PSDB [LEIA MAIS AQUI]? O que não falar da privataria, sanguessuga, mala rosa, anões do orçamento, reeleição, corrupção em São Paulo, mensalão tucano... [LEIA MAIS AQUI]

“Quem ouve desprevenido poderá pensar que Aécio é o presidente da república e que foi no governo dele que a Polícia Federal resolveu investigar a fundo a corrupção nas estatais. Ora, o que está acontecendo é mérito de Dilma, que nunca interferiu no trabalho da Polícia Federal. Dilma e Lula, porque ambos contrataram milhares de novos delegados federais e agentes da PF, e lhes deram liberdade. Liberdade inclusive política.” [LEIA MAIS AQUI

O PARANÁ HOJE VIVE UM PESADELO QUE PARECE NÃO TER FIM... Veremos com certeza nos próximos quatro anos o desmonte do Estado. Não sei o que restará depois desses quatro anos, só o tempo vai dizer... Sorte que por enquanto só nós paranaenses sofreremos na pele esse desmonte. 

MAS A PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR NOVAMENTE: Se o Aécio Neverporto fosse eleito … já imaginou ?

filoparanavai 2015

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...