segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

A ARTE DE ARGUMENTAR: Do garoto negro amarrado ao poste à "opinião" de uma mulher branca, instruída e jornalista.





MATERIAL/TEXTOS para subsidiar exercícios de argumentação nas aulas de Filosofia, enfocando ao mesmo tempo a estrutura da redação dissertativa argumentativa filosófica [com foco no modelo Redação Enem - é importante lembrar, que a redação é um dos desafios do exame Enem e vestibulares, mas sobretudo na disciplina de Filosofia que tem o gênero dissertativo-argumentativo como principal instrumento de exercício do filosofar. Há normas fundamentais que devem ser observadas pelo aluno, como a necessidade de trazer uma "proposta de intervenção social para o problema apresentado no desenvolvimento do texto" - no caso da redação Enem ou uma síntese-conclusão conforme orientações dos vestibulares. Em um texto dissertativo, o posicionamento do estudante precisa estar embasado em argumentos. A argumentação não é uma tarefa fácil. Para argumentar é fundamental que o aluno respeite os Direitos Humanos e busque para isso ler textos das mais diversas fontes.] - Aos alunos recomendo as leituras dos artigos abaixo para ampliar a capacidade argumentativa após nossas aulas em sala, sobre o tema-problema aqui proposto.

Para que o aluno apresente argumentos consistentes necessita estar "antenado" ao que acontece na sua localidade e no mundo como um todo. Eleja as informações de maior impacto. Firme uma opinião diante do fato, formule no mínimo uma argumentação e investigue as opiniões e argumentações presentes em sites sugestionados pelo professor. Leia com atenção especialmente artigos que desdobram as discussões sobre esses temas-problemas.

Vamos analisar aqui o caso do garoto "delinquente" preso ao poste no Rio de Janeiro e o comentário com opinião pessoal e "argumentações" de uma jornalista  - apresentadora - sobre o fato, bem como as contra-argumentações feitas por jornalistas e outros profissionais ao comentário da apresentadora de TV.

Escrevendo contra os argumentos da apresentadora alguém ironizou: "O sujeito vai à escola, chega à universidade, ganha cultura, ascende socialmente… tudo isso para depois descobrir que sua alma continua aprisionada na Idade Média."

Para abrir essa discussão, quero lembrar que pesquisa com moradores do Rio de Janeiro demonstra que a sociedade não perdeu o rumo da civilização e que maioria esmagadora desaprova os atos de justiceiros [veja abaixo maiores detalhes]. Ainda bem que quem apoia isso no Rio de Janeiro é uma minoria de "LESADOS" das ideias e de espírito humano... 

VAMOS IRONIZAR? UMA TÉCNICA UTILIZADA POR SÓCRATES FOI A DA IRONIA FILOSÓFICA. FAZENDO USO DELA QUERO LEVANTAR ALGUNS QUESTIONAMENTOS...

QUE TAL COLOCAR NESSE POSTE EM VEZ DE UM GAROTO, POBRE E NEGRO; UM BRANCO, ENGRAVATADO E QUE DISCURSA MORALIDADE COMO SE FOSSE O SUPRA-SUMO DA HUMANIDADE? 

OS VERDADEIROS BANDIDOS QUE ROUBAM MILHÕES DOS COFRES PÚBLICOS E TRAFICAM ARMAS E DROGAS, ALÉM DOS "PATRÕES" QUE SUGAM O SANGUE DOS TRABALHADORES PARA OBTEREM LUCROS - LATIFUNDIÁRIOS E INDUSTRIAIS - USAM TERNOS E MORAM EM CONDOMÍNIOS COM TODA SEGURANÇA E LONGE DAS AÇÕES DA POLÍCIA, FREQUENTAM IGREJAS, RODAS SOCIAIS, MANTÊM ALTOS CARGOS NO MERCADO DE TRABALHO E POSSUEM TERCEIRO GRAU EM SUA MAIORIA. 

QUE TAL COLOCARMOS ELES AÍ NO POSTE. GARANTO QUE A VIOLÊNCIA PODERIA DESAPARECER EM PARTE E MUITO DE NOSSA REALIDADE COTIDIANA... POIS PODERÍAMOS FAZER A DISTRIBUIÇÃO DAS RIQUEZAS QUE ELES CONCENTRAM VERGONHOSAMENTE. 

SÓ NO BRASIL 10% DA POPULAÇÃO CONCENTRAM MAIS DE 40% DE NOSSAS RIQUEZAS [leia aqui informações sobre concentração de renda] ,OS GRANDES PROPRIETÁRIOS DE TERRAS 0,2% da população TEM 80% das terras agricultáveis [80% nas mãos de 0,2% - de clique aqui para ler] E OLHA QUE ESSA INFORMAÇÃO ESTÁ EM UM JORNAL DAS CLASSES DOMINANTES, O RESULTADO É DESIGUALDADE SOCIAL.

DIANTE DISSO VAMOS IRONIZAR NOVAMENTE PARA ENCERRAR. JÁ QUE ESSES JUSTICEIROS GOSTAM DE PRATICAR O ESPORTE "CAÇA AOS DELINQUENTES" FAÇO UM DESAFIO. MONTEM EM SUAS MOTOS E SUBAM OS MORROS DO RIO E PRENDAM PARA NÓS TODOS OS CHEFES DO TRÁFICO DE DROGAS E ARMAS, CONTRA OS QUAIS A POLÍCIA TRAVA UMA VERDADEIRA GUERRA TODOS OS DIAS EM BUSCA DE CAPTURÁ-LOS. CAPTUREM ESSES CHEFÕES, PRENDAM-OS AOS POSTES AÍ SIM PODERÃO SER CHAMADOS DE HOMENS DE VERDADE, OU AINDA VERDADEIROS HERÓIS DA SOCIEDADE.

PORTANTO, A QUEM APOIA ESSA BARBÁRIE ESTAMPADA AÍ ABAIXO NA IMAGEM EU DESAFIO: VAMOS DISCUTIR OS DELINQUENTES COMO PRODUTOS DAS DESIGUALDADES SOCIAIS?


Um adolescente foi espancado e preso a um poste por uma trava de bicicleta, nu, na noite da última sexta-feira, na Av. Rui Barbosa, no Flamengo, Zona Sul do Rio. Ele teria sido atacado por um grupo de três homens, a quem chamou de “os justiceiros”, segundo a coordenadora do Projeto Uerê, Yvonne Bezerra de Melo, de 66 anos. A artista plástica foi chamada por vizinhos que flagraram a cena, registrou a situação e compartilhou em sua página no Facebook. Internautas afirmam que o adolescente praticaria roubos e furtos na região do Flamengo. — Eu não quero saber se ele é bandidinho ou bandidão, você não pode amarrar uma pessoa no meio da rua. [PARA LER A NOTÍCIA NA ÍNTEGRA DE CLIQUE AQUI]

Depois desse fato jornalístico, uma jornalista, apresentadora de um telejornal em horário nobre e de canal de televisão com entrada aberta em todo o território nacional, não só defendeu o ato animalesco mas asseverou que no Brasil não há Estado, não há Justiça, não há Polícia. Resumindo, defendeu justiça pelas próprias mãos - que é senão que outra coisa, "Pena de Morte" por meio de julgamento sumário e imposição de pena. Quando alguém chega a esse extremo está longe de qualquer argumento que possa ser chamado de válido diante da racionalidade de nossa contemporaneidade. Pois temos Estado, temos Justiça, temos Polícia. 

Aceitar a justiça pelas próprias mãos é aceitar a barbárie, é comungar da "violência que gera violência", é negar o direito à inocência, é negar o direito da defesa. É julgar a partir dos critérios de justiça de quem, afinal? Quem serão os apenados? Ricos ou pobres? Brancos ou negros? [???]. Esse é um perigo que a humanidade conseguiu debelar ao adotar a Carta dos Direitos Humanos.

A Declaração Universal dos Direitos Humanos, garante nosso direito de ampla defesa diante da acusação de um ato criminoso, por meio de um tribunal, em todas as instâncias possíveis; diante de uma condenação, cumprir a pena em condições humanamente aceitáveis e ter o direito, após cumprida a pena, de retornar à sociedade para retomar o curso normal da vida.

O pior de tudo é que ela não fala o que pensa, fala o que as "classes dominantes" pensaram por ela e o que os alienados querem ouvir... ESSA SENHORA NÃO É APENAS REPRESENTANTE DOS ALIENADOS, É REPRESENTANTE DA DESUMANIDADE, DA ACRITICIDADE, DA ANTI-ÉTICA, DA DESUMANIDADE, DA BARBÁRIE...

Assista o vídeo abaixo e tente entender:
Por quais motivos será que o "coração" da apresentadora defendeu com tanta disposição Bieber e condenou o "negro" da ficha policial suja? Bieber, se não me engano tem 19 anos; o adolescente do poste tem apenas 15 anos. Por quais motivos será que ela entende que Bieber deve ser perdoado e o garotinho "linchado"?

LEIA ESSA ÓTIMA ANÁLISE CRÍTICA SOBRE O ATO DA JORNALISTA EM QUESTÃO QUE SUSCITA MUITAS QUESTÕES ÉTICAS: Cabe ao Ministério das Comunicações fiscalizar de forma ostensiva todo o conteúdo veiculado por emissoras de rádio e televisão e fazer com que o Código Brasileiro de Telecomunicações seja respeitado. Além desse acompanhamento por parte do Estado, é papel também do cidadão tomar a comunicação como um direito seu e atuar diretamente na observação e denúncia de desrespeitos aos direitos humanos observados no sistema de radiodifusão. É a partir de um olhar crítico do cidadão que teremos menos “Racheis Sheherazades” e mais espaço para um jornalismo que cumpra realmente com a função social de informar e educar. E a resposta à provocação feita pela jornalista, quando nos convida a “adotar um bandido” deve sempre ser a de: sim, queremos acolher e proteger um ser humano. E queremos que a mídia faça o mesmo ou que seja responsabilizada pelo descumprimento da legislação e de suas funções. Leia a íntegra de "Violação de direitos humanos na mídia: até quando?", artigo de Ana Graziela Aguiar para o Intervozes: VOCÊ PODE LER O TEXTO NA ÍNTEGRA DANDO CLIQUE AQUI.

LEIA AINDA: Em seus argumentos [no artigo que assina na Folha de S. Paulo desta terça-feira], Sheherazade afirma que a sensação de impunidade no Brasil se deve à fragilidade do Estado, culpa de um policiamento falho amarrado a normas sobre autos de resistência. Se andasse na periferia, saberia o que é discurso oficial e o que é piada pronta. Se soubesse ler estatísticas, saberia que quem está na mira não são os cidadãos aprisionados em condomínios fechados, mas jovens e pobres e das periferias. Uma pesquisa divulgada pelo Ipea no fim do ano passado mostrou que dois de cada três assassinatos no Brasil têm como vítima um negro. Outro levantamento revelou que os três distritos com mais assassinatos em São Paulo ficam na periferia da cidade: Parque Santo Antônio, Capão Redondo e Campo Limpo. Não é pena, é estatística: não é a ordem da periferia que provoca mortes no centro, mas a ordem do centro que provoca mortes na periferia. Por isso podemos andar tranquilamente por espaços do centro, iluminados e bem policiados: a escuridão está longe da nossa trajetória. 

Leia o texto na íntegra, "O mundo assombrado de Rachel Sheherazade", resposta de Matheus Pichonelli, editor-assistente do site de CartaCapital, ao artigo que a apresentadora do SBT assinou na Folha de S.Paulo: de clique aqui para acessar o texto original.

FELIZMENTE A MAIORIA DOS BRASILEIROS MAIS LÚCIDOS E INFINITAMENTE MAIS ÉTICOS DO QUE ESSA JORNALISTA DESAPROVAM O ATO DESUMANO DOS "JUSTICEIROS".  "Apenas 22% aprovam ou flertam com a barbárie. Por quê?" Uma tentativa de resposta foi dada por Josias de Souza, no blogosfera, leia o texto:

Um bando de justiceiros só agride e assassina porque sabe que seu desprezo por certos seres humanos é compartilhado. A turma do ‘mata e esfola’ se sente implicitamente autorizada a matar e esfolar. A autorização chega de toda parte: o comerciante que encomenda a morte do pivete incômodo, o PM que fecha os olhos para a repressão clandestina por achar que a legal é insuficiente, o cidadão que acha que bandido tem que morrer mesmo para que ele possa desfrutar do seu patrimônio sossegado…

O Datafolha foi às ruas do Rio de Janeiro para saber o que o carioca acha de justiceiros como os que agem no bairro do Flamengo —aqueles que pegaram um jovem suspeito de praticar roubos, espancaram-no, deixaram-no nu, arrancaram-lhe um pedaço da orelha e prenderam-no a um poste pelo pescoço com uma tranca de bicicleta. A maioria (79%) reprovou a ação do grupo. Bom, muito bom, ótimo. Mas há 17% que aprovaram e 5% que não responderam. Juntando-se os que autorizam explicitamente a barbárie aos cúmplices silenciosos da prática chega-se ao índice de 22%.

Repetindo: 22% dos cariocas concedem ao grupo bem-nascido do Flamengo, composto por jovens de classe média, procuração para praticar atos bárbaros contra supostos delinquentes. O apoio é expressivo entre os cariocas mais escolarizados (20%) e endinheirados (24%). Curioso, muito curioso, curiosíssimo. Por quê? Simples. Para essa gente, um pedaço da população é lixo. Ou por outra: é sub-lixo. Sim, porque o lixo ainda pode ser reciclado.

Na visão dos apologistas da máxima bíblica do ‘olho por olho, dente por dente’, a violência é algo tão terrível, tão revoltante que deve ser imposta a quem a pratica. O paradoxo talvez fosse compreensível se a punição à margem da lei tivesse efeitos dissuasivos —ah, vamos acorrentar o ladrão ao poste para que outros ladrões pensem dez vezes antes de assaltar. Ou: vamos matar assassinos para que outros assassinos reflitam antes de matar.

O diabo é que está estatisticamente provado que nem a pena de morte, nos países em que foi adotada, teve efeitos sobre os índices de criminalidade. Assim, não resta aos justiceiros e aos seus apoiadores senão o gostinho da vingança. O sujeito vai à escola, chega à universidade, ganha cultura, ascende socialmente… tudo isso para depois descobrir que sua alma continua aprisionada na Idade Média. Há mesmo lixo demais no mundo. Ou sub-lixo. Irreciclável. Mas ilustrado.

Essa bela análise é de Josias de Souza, De clique aqui para ler o texto no original.

“Justiceiros” que amarraram jovem em
 poste têm longa ficha criminal" 

Justiceiros que torturaram e amarraram jovem nu 
a um poste são acusados de estupro, lesão corporal, 
furto em um condomínio, ameaça e uso de drogas 

A Polícia Civil identificou dois dos suspeitos de ter torturado e amarrado um jovem nu a um poste na Avenida Oswaldo Cruz, no Flamengo. Os dois suspeitos têm antecedentes criminais. João Vitor é acusado de estupro, lesão corporal, furto em um condomínio e ameaça. Raphael responde por uso de drogas e por recusa ao serviço eleitoral. Testemunhas afirmam que o espancamento foi feito por 30 pessoas.

O jornalista Fernando Brito, do Tijolaço, comentou o caso. Leia abaixo: “Anjos-linchadores” de Sheherazade têm ficha criminal. A senhora quer adotar um deles? Então quer dizer que, cansados da inação do Estado, 30 legítimos representantes da sociedade “civilizada” saíram de moto, com porretes e correntes, para restabelecer o “clima de paz e tranquilidade” nas ruas do Flamengo, no Rio de Janeiro. 

Iam pelas ruas, segundo a D. Raquel Sheherazade, aplicar o artigo do Código de Processo Penal e prender criminosos em flagrante delito, para conduzi-los à autoridade policial incompetente, que não cumpria o seu dever de detê-los?



Filoparanavai 2014

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...